A viagem dividida e o tempo que não passa

Quando eu era criança minha mãe dividia a viagem em trechos. Se eu perguntava: “A gente tá quase chegando?”, ela respondia que faltavam tantos pedaços. Cada referência era de um ponto a outro, como da ponte até a polícia, do parque até o trem, e assim por diante.

Acabei adaptando a tal contagem de tempo para diversas situações da minha vida. A segunda gravidez, por exemplo, foi toda dividida em eventos. Primeiro o início do mestrado, depois o aniversário do Vítor,…

Enquanto eu tinha algo por esperar, digamos assim, uma etapa seguinte, a gravidez simplesmente passava junto, sem muita ansiedade. Acontece que minha última referência acabou na metade de maio e não consigo pensar em nada grande para usar de marcação. Resultado? Penso todo dia no parto e no nascimento da Clara.

Coisa de doido? Sim, eu sei. Mas preciso urgente de novos pedaços na minha linha do tempo.

Comentários Facebook

4 comments

  1. Ananda, adorei essa ideia dos pedaços na linha do tempo da vida. Muito bom! Mas realmente fazemos isso o tempo todo, uma maneira de ocuparmos a cabeça e o coração. Uma maneira de viver outros sentimentos! Mas calma amiga… deixe tudo acontecer no seu tempo. Arrume algo para pensar….pensar…. fazer… sem que seja o parto, pois esse dará certo e em breve estará com sua pequena nos braços.
    Beijos, beijos

    View Comment
  2. Hmmm, que tal:

    Junho – Festa de São João? Quermesses são uma delícia!
    Julho – dia 20, dia do amigo (?) não sei se vale…
    Agosto – dia 12, dia dos pais.
    Setembro – Clarinha está pronta!

    🙂
    Beijo

    Marina

    View Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *