Um passo para frente, três para trás

Assim é a nossa caminhada na rua: um passo para frente, três para trás.

Quando tem sol busco a dupla na escola a pé e aproveitamos para passear. Levo o carrinho pequeno para a Clara, coloco todas as bolsas ali penduradas e o Vítor vai caminhando perto de mim.

Perto na teoria, pois às vezes ele corre (geralmente na direção oposta que eu quero ir). E eu grito. E eu corro com o carrinho atrás dele. E ele corre mais ainda.

Além disso, ele entra em todas as portas abertas que acha pelo caminho. Entra, olha. As pessoas dizem oi, ele grita “não” e volta para a calçada.

Outra coisa que o Vítor faz é colocar a mão em todos os vidros que vê pela frente. As pessoas responsáveis pela limpeza devem ficar curiosas com tantos dedinhos marcados. Desenha luas, cogumelos. Um mundinho particular só seu.

E assim vamos indo. Sem pressa (ou pelo menos sem tanta pressa assim). Curtindo de perto cada momentinho dessa infância tão gostosa.

Dá trabalho (e dá!). Mas não troco por nada, nem mesmo os momentos cômicos ou de loucura (quem nos vê na rua que pode falar sobre isso hehe).

Comentários Facebook

2 comments

  1. Anandinha, você é tão real. Me faz sentir tão bem ao ver que é tão normal e que mesmo com tantas dificuldades (ou não! Se é que se pode chamar isso de dificuldade, isso é tudo normal) você aceita a maternidade com tanta naturalidade. Passei por uns momentos no qual não aceitava muito bem as birras, as vontades proprias. Queria só o glamour da maternidade. Adoro te ler. E apesar de comentar mais no facebook, eu sempre estou por aqui. Beijos da amiga 😀

    View Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *