Como reaproveitar móveis e objetos no quarto dos pequenos

Tempos atrás escrevi sobre o que a gente não precisa quando vai ter um bebê. A Aline comentou no post e fiquei curiosa para saber mais sobre o quartinho da filha dela, feito com vários móveis e objetos reaproveitados.

A Aline destaca que não é um quarto de revista, porém simples e funcional:

“Sou arquiteta, mas gosto muito de sustentabilidade, então, reaproveitei armário, a cama do maridão quando era solteiro, o cabideiro da minha avó… repaginei a parede (com tinta à base de água, hein?) para acrescentar uma corzinha e quanto aos móveis, foi só repintar. Evitei um consumo, não joguei coisas boas no lixo. Gastei muito pouco. Não é o quarto de revista de decoração, mas eu amo e atende perfeitamente à minha baby”.

Pedi, então, para ela mandar algumas fotos e referências. Espero que gostem das dicas da Aline, que é arquiteta!

Cama de apoio

Reaproveitamos a cama que era do meu marido. Ela já era uma cama baixa, pois minha sogra cortou os pés para poder colocar um colchão de mola, e tinha detalhes dourados.

Para ficar numa altura mais adequada, eu coloquei o meu colchão de solteira em cima do colchão do meu esposo. A cama foi pintada numa oficina de pintura de carro. Como eu escolhi fazer o quarto nas cores rosa e marrom, os antigos detalhes dourados ganharam a cor marrom e a parte branca foi apenas revitalizada.

As almofadas e os rolinhos brancos eram de um antigo sofá da minha mãe que teve cupim na base. Então, só levei num estofador para trocar o revestimento pelo de courvin branco.

Cabide de pé

O cabide de pé era da minha avó e ela também não estava usando. Ficou felicíssima em poder contribuir para o quarto da bisneta. Também tinha os detalhes em dourado, que mudei para marrom. Ainda revitalizei a pintura branca no mesmo local da cama.

quarto1
Cestos de metal na parede

Os cestos estão na minha família a cerca de 20 anos. Eles eram vermelhos. Foram comprados na loja Tok Stok para servir de sapateira para o meu quarto e da minha irmã quando éramos crianças. Morávamos no Rio na época.

Depois eles foram mudando de função, de local e de dono. Quando me casei usei como sapateira no meu primeiro apartamento. Como no atual já tinha closet, eles ficaram guardadas, até que eu resolvi utilizar como prateleiras para colocar bichinhos de pelúcia, que também não são novos. Eram meus e da minha irmã quando crianças. Minha mãe tem uma maneira de limpá-los que ficam como novos, então trouxe uns para o quartinho da bebê. Eles são limpos periodicamente, para evitar acúmulo de poeira.

Os cestos foram pintados de marrom no mesmo local da cama e do cabide. Iria usar só três, mas depois que minha filha nasceu senti necessidade de um apoio para o local da troca de fralda, então coloquei mais dois acima do trocador.

Móvel de canto

Eu tinha o móvel preto e branco que usava para colocar minha impressora no antigo apartamento. No novo, ele ficou meio sem uso. Então, pedi ao marceneiro apenas que trocasse a parte preta por branco e agora ele serve de apoio para algumas coisas que ganhamos quando a pequena nasceu.

quarto2
Lixeira

A lixeira é meu xodó porque eu a enfeitei durante a gravidez. Ela era uma simples lixeira de escritório. Como meu escritório fechou e passei a trabalhar em casa, fiquei com ela, mas sem muita utilidade. Assim, comprei algumas fitinhas numa casa de aviamento e enfeitei.

Apesar de ela não ter tampa, não vejo como um grande problema. Quando usamos a fralda de pano, quase não gera lixo. Quando usamos a descartável, já tiramos ela do quarto, sem deixar acumular lixo. Além disso, tenho amigas que disseram que acham que a lixeira com tampa é pouco prática na hora da troca de fraldas.

quarto3
O guarda roupa dela era o que nós usávamos no nosso antigo apartamento para nós dois. Como compramos o local atual com closet, ele passou para nossa filha. O berço foi novo. Nós ganhamos dos meus sogros. Até outubro ele sairá do quarto, pois emprestei para uma amiga que terá bebê. O trocador também foi um presente. Foi daqueles trocadores/banheira. Também pretendo emprestar, enquanto decido de Laís ganhará ou não um irmão.

Como dá para ver, não é um quarto de revista e, aliás, não está muito organizado. Mas tenho muito orgulho dele, pois tem tudo o que precisamos, gastamos pouco e ainda me sinto bem por ter uma prática mais sustentável e não condenar ao lixo coisas boas que ainda podem nos servir por muito tempo.

Obrigada, Aline, por compartilhar com a gente! Beijos na pequena!

Comentários Facebook

8 comments

  1. janaina

    Adorei!No quarto dos guris eu desmontei o berço e aproveitei algumas partes.O trocador com gavetas eu mantive e as grades das laterais ,uma fixei na parede para servir de livreiro e a outra ficou na parede acima da cama presa por correntes para os bichinhos de pelucia.Ficou bem legal.

    View Comment
    • eliane maister

      Oi Aline, tudo bem?
      Adorei as tuas idéias de reaproveitamento… fazer uma nova decoração com objetos que tem uma história é sempre legal!
      Fiquei curiosa em saber o método da tua mãe para limpar e/ou recuperar os bichos de pelúcia.
      Eu tenho uma enteada de 8 anos e ela frequentemente traz bichinhos que não quer mais para os manos pequenos…
      Beijos e tudo de bom!!

      View Comment
      • Aline D'Amore

        Oi, desculpa a demora em responder. Perguntei à minha mãe e ela simplesmente bota na máquina dentro de uma fronha. Hehehe. Bem simples, neh? Ela usa o módulode centrifugação, porque se não demorar muito para secar. Não põe muito sabão e coloca no ciclo simples.

        View Comment
  2. eliane maister

    OI Ananda!
    Eu também reaproveitei muita coisa no quarto dos meninos..
    Um dos berços e o trocador foram da minha enteada, o outro berço mandei fazer igual (tenho gêmeos).
    A poltrona de amamentação uma amiga que me deu – o filho mais novo dela tem 3 anos, ela quase pagou para que eu levasse o trambolho! (mandei apenas forrar, o que aqui em Venâncio é baratinho).
    O pufe eu já tinha do meu apto de solteira e mandei forrar igual a poltrona… a mesinha de canto minha mãe tinha e me emprestou…
    Tenho uns nichos que são para colocar bichos de pelúcia… como tive que fazer repouso em porto alegre a partir dos 7 meses, não consegui sair para escolher bichinhos, e depois voltei para casa com 2 bebês prematuros, então a última coisa que conseguiria era sair para isso, né? coloquei apenas alguns poucos bichinhos que fui ganhando… sobraram nichos… até que minha enteada (orientada pela mãe dela, claro) teve a iniciativa de fazer uma limpa nos bichinhos dela (pois já está com 8 anos), e me trouxe muita coisa, feliz por dar os brinquedos aos manos pequenos. E encheu, assim, nossos nichos (aliás, acabou sobrando bicho….)
    E assim montei o quartinho deles.
    Acho que as pessoas deveriam se preocupar mais em reaproveitar as coisas… conheço muita gente que tem cabeça pequena, e que quer comprar tudo novo, acha o fim o filho aproveitar uma coisa “usada”, como se fosse algum demérito. Eu adoro a energia das coisas que são repassadas… roupas, brinquedos… além do sentido “ecológico” da coisa, tem a energia positiva, de gente que quer ajudar, que quer transmitir o carinho que sentem por nós e nossos pequenos.
    Agora eu estou sempre procurando gente para repassar as coisas que já não tem utilidade para os meus filhos, adoro ver fotos dos filhos das amigas com as roupas que eram dos meus. A gente compra tudo com tanto carinho para eles, e quer ver sendo bem aproveitadas.
    Se todo mundo tivesse esta noção, quanto se economizaria, né?
    Continue sempre trazendo boas idéias no teu blog!!
    Beijos!

    View Comment
    • nandaetges
      Author

      Muito obrigada pelo carinho, Eliane! Realmente, esse ciclo de passar as coisas é muito interessante. Aqui também praticamos o desapego 😉 Beijos!

      View Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *