Um passeio em família ou… o bebê no meio da rua

Domingo de Dia das Mães. Manhã típica de outono, ventinho levemente gelado e sol gostoso convidando para uma caminhada na rua. Como o Fábio estava envolvido com algumas tarefas, decidi sair com o Vítor e Clara para dar uma volta.

Começamos a trocar de roupa, aquela movimentação de um lado para o outro. Pega o sapato de um, o casaco de outro e assim sigo, andando praticamente em círculos, até todos estarem prontos (ou quase isso).

Com o agito da saída, o Dexter, nosso cachorro, fica com aquela cara de “me leva, me leva”, perto da porta, na esperança de ser convocado para o passeio.

Não consigo resistir e vamos os quatro: eu, Vítor, Clara e Dexter. Antes de sair o Fábio me olha e diz: “Tem certeza?”. Respondo que sim, enquanto o Vítor já aperta o botão do elevador e vai conduzindo o carrinho da irmã, todo saltitante.

Para facilitar a logística de uma mãe com apenas duas mãos (veja bem, em momentos assim gostaria de ter no mínimo quatro)… delego uma grande tarefa para o Vítor: ele vai levar o Dexter na coleira.

Feliz pela grande responsabilidade, o pequeno conduz o amigo com todo cuidado e atenção. Andamos cerca de 100 metros aparentemente sem nenhum problema.

Eis que chegamos em uma calçada não muito favorável e o Vítor tropeça. Na hora, a coleira se solta e o Dexter anda alguns passos solto. Eu largo o carrinho e corro na direção do Vítor para ajudá-lo. Ao mesmo tempo, estico o braço para segurar o Dexter. Tudo acontece muito rápido e, no meio da confusão, o Vítor me olha com uma cara de pânico: “Mãe, a Clara”.

A Clara? Como assim a Clara?

Como em um filme de ação eu me viro em câmera lenta, com um close no meu rosto e na minha expressão de surpresa. Olho para onde tinha deixado o carrinho parado e ele não está lá.

Mais adiante, vejo a pequena indo em direção à rua, a mil por hora.

Adivinha só: o carrinho correu da calçada e, por pouco, não foi parar no meio do asfalto.

E assim foi a nossa manhã de Dia das Mães. Com emoção, sempre!

Em tempo: consegui salvar a pequena. Ufa!

Comentários Facebook

2 comments

  1. De

    Menina do céu! Depois dessa me diz que tu deu meia-volta e voltou pra casa, hein?

    Na semana passada passei por algo bem parecido. Parei em uma auto-peças que fica na beira da rodovia. Quando estacionei, um dos atendentes pediu pra eu ir um pouco mais pra frente, inclusive, pra evitar que o carro ficasse com a traseira na rua. Deixei o Ben dentro do carro ” dirigindo” e fui lá falar no balcão. Fiz tudo de costas para o balcão, sempre olhando para dentro do carro. Quando a atendente veio me mostrar a peça que eu pedi, eu me distraí por alguns segundos. Quando olhei dentro do carro, cadê o Ben? Ele tinha saído de dentro do carro, e tinha dado a volta POR TRÁS para me encontrar! Ou seja, ele passou na beira da rodovia! Caminhando! Podia ter atravessado a rodovia… melhor nem pensar nisso!
    Na hora que peguei ele no colo, desisti de tudo, e ainda não tive coragem de voltar lá pra comprar a tal peça!
    Ufa!! Nunca mais!!
    Beijos

    View Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *