A escolha pela escola pública

Hoje o Vítor começa um novo ciclo na sua vida escolar. Ele passa a frequentar uma escola infantil da rede pública de educação.

A mudança não acontece por um motivo específico. Ele ia em uma escola particular muito conceituada, da qual não temos reclamações. É a mesma que a Clara vai continuar frequentando, por ainda não ter uma vaga na pública para ela.

Acontece que educação privada é um investimento considerável e que já pesava no bolso da nossa família. A mensalidade, que não é pequena, apesar de toda contrapartida que oferece, multiplicada por dois tirava nosso fôlego no final do mês.

Assim, a notícia de novas vagas na rede pública, decorrentes da abertura de mais uma escola no município, nos animou. Juntamos a documentação para inscrever o Vítor e a Clara e para nossa surpresa (e alegria) o Vítor logo foi chamado. A Clara ficou como segunda na fila de espera e tem previsão de conseguir algo ainda no segundo semestre.

Na nossa cidade a educação infantil pública trabalha com critérios para distribuição das vagas. Entre o que é analisado, destaque para renda familiar e zoneamento (a criança é colocada, preferencialmente, em uma escola do seu bairro).

Além disso, a administração do município investiu muito nos últimos anos na criação de novas escolas, para diminuir a espera por uma vaga. Isso resultou não só em uma educação infantil mais abrangente, mas também em escolas referências, já construídas nos novos padrões determinados pelos órgãos de educação.

Na semana passada, quando fui fazer a matrícula do Vítor, confesso que fiquei encantada pela escola que ele vai frequentar a partir de agora. Desde estrutura até organização, a instituição me surpreendeu. Isso ajudou a me deixar mais segura em relação à mudança.

Preciso dizer que estava cheia de medo. Primeiro pela fase de adaptação, ainda mais por ter que separar o Vítor e a Clara (na escola atual, mesmo em turmas diferentes, os dois chegavam juntos e tinham momentos de convivência). Segundo, por sempre ter estudado em escola particular e desconhecer a realidade do ensino público.

Agora estou mais tranquila e consegui passar esse sentimento para o Vítor. Conversamos bastante sobre a “escola nova” e tentei prepará-lo para o período de adaptação.

Desejem boa sorte pra gente! Durante a semana eu volto para contar sobre como está sendo a mudança.

vitor

Comentários Facebook

6 comments

  1. Oi queridona, passei por isso há pouco tempo… Também tinha receio mas decidimos arriscar. O Lorenzo já está no 2º ano de uma escola pública que fica em frente à nossa casa. Existem prós e contras (como tudo na vida), mas até agora não nos arrependemos de nada. A escola é boa e o ensino também. Boa sorte com o pequeno! Grande beijo.

    View Comment
  2. Eu acho super válido Ananda. Já pensamos sobre isso por aqui também, principalmente agora que segundinho está a caminho. A mensalidade da escola de Bento nem é tão alta, mas multiplicando por dois a coisa aperta.
    Porém, as públicas na região que moramos não são muito boas. Uma delas tem um espaço ótimo, é bem conservada, mas fica ao lado de uma favela. Aí o que acontece é que acabam priorizando as crianças ali da comunidade em função da renda. Quem sabe mais pra frente conseguimos.
    Vou acompanhar seus posts contando como está a mudança!

    View Comment
    • Ananda Etges
      Author

      Nossa, Sarah! Com dois não é mole não hehe!
      E sem dúvidas… a realidade local é determinante na escolha da escola. Aqui temos boas opções e, ainda, pertinho de casa. Uma grande vantagem no nosso município.

      Beijos e boa sorte! Esta semana ainda quero escrever mais sobre as primeiras observações.

      View Comment
  3. há pouco tempo meu bebê de 15 meses começou a ir para a escolinha. faz só 1 mês e já penso em mudá-lo para a pública.
    Como ele ainda é muito pequeno e a adaptação ainda está acontecendo, pretendo esperar até ele ter 2 aninhos antes de dar este passo. Enquanto isto, estou planejando conhecer instituições perto de onde moramos.
    Saber que outros pais como nós também estão dando estes passos é muito inspirador.
    estaremos torcendo. SORTE!

    View Comment
    • Ananda Etges
      Author

      Verdade, Isabela! Se ele recém começou seria muita mudança de uma vez só.
      Sobre nossa escolha… conhecer a escola fez toda diferença. Ver o espaço físico, conversar de coração e mente aberta com direção ajudou muito no processo de busca e conhecimento.
      Afinal, deu a segurança que a gente precisava para encarar a mudança!

      Beijos e boa sorte!

      View Comment
  4. Pingback: Escola e separação: cada filho em uma escola | Projeto de Mãe

  5. Pingback: Diferenças entre escola pública e privada | Projeto de Mãe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *