Sono e falta de paciência: a criança que não dorme

Então é isso: a Clara definitivamente não dorme.

Na verdade, ela dorme. Mas acorda mil vezes.

Mil não, de três a cinco. Toda noite. Toda santa noite. O suficiente para acabar com a paciência e tirar qualquer sanidade da pessoa.

Isso tem acabado comigo. Estou esgotada. Se contar desde o nascimento do Vítor, que também teve fases complicadas no quesito sono, são mais de três anos sem dormir direito.

A Clara, especificamente, nos deu a alegria de dormir mais de 7 horas no máximo umas cinco vezes (E OLHE LÁ!).

Gente, ela tem quase 2 anos! Em nenhum devaneio materno eu pensei que crianças de quase 2 anos fizessem isso.

Antes de 1 ano não ousava reclamar (muito), afinal, era um RN, podia ser pico/salto, dente nascendo, adaptação à rotina, início na escola, ansiedade de separação ou qualquer outra “chatice” que tem influência no sono de um bebê de até 1 ano.

***

Depois do primeiro aniversário comecei a pensar que a amamentação era a vilã. Logo eu, tão segura da relação peito-Clara-leite, fiquei balançada. Fui bombardeada com palpites: “é fome” ou “apego demais”.

Cedi e tentei dar mamadeira. Nada mudou, continuava acordando, hipótese de fome descartada. Então, seguimos apenas com o peito e tentamos uma aprendizagem de sono, com uma profissional no assunto, uma consultora em sono infantil. Recebemos ótimas dicas e tentamos melhorar a rotina, para ver se isso ajudava a melhorar o sono da Clara.

Alguns resultados apareceram. Ela passou a dormir mais fácil e já na sua cama. Por algum tempo até acordou menos vezes. Mas no fim, sem muita persistência da nossa parte (por cansaço), tudo voltou ao ponto de partida, sem evoluções significativas.

***

Assim, comecei a ficar preocupada, já que nada adiantava. Erupções na pele levantaram suspeita de alergia alimentar. Fizemos dieta de exclusão e mil exames. A alergia podia causar algum desconforto que no fim resultava nas noites de caos e deita-levanta.

Os exames chegaram e veja bem: nada. A alergia na pele melhorou naturalmente com a troca de estação (o problema todo era no verão). No entanto, o sono não. Toda noite a mesma coisa. Choro, choro e mais choro.

***

Convicta de que nunca mais teria uma noite de paz eu passei a dar piti em plena madrugada. A criança chorava e eu gritava. Reclamava e ia atender, na maior má vontade. No outro dia, acordava com um humor terrível e explodia por qualquer coisa, inclusive com o Vítor, que, coitado, também sofria com a tensão noturna familiar.

Até que uma noite tive o maior surto possível. Uma vontade de correr para as montanhas mais distantes (mãe também tem vontade de fugir, viu?). Acabei caindo no choro e vi que não dava mais para continuar com aquela indisposição, que minha negação não iria eliminar o problema.

***

Fui na pediatra da Clara, quase que em busca de uma terapia. Ela foi muito atenciosa e fez uma série de perguntas, para tentar verificar se algum motivo clínico era responsável pela pequena acordar tantas vezes, todas as noites. No fim, ela me tranquilizou e deu um belo discurso de incentivo à amamentação (muitos pontinhos positivos para ela, pois hoje em dia não é qualquer pediatra que incentiva a amamentação prolongada).

No desespero, eu já achava que estava fazendo tudo errado: amamentação, apego, forma de educar. Ela me ajudou a parar de procurar motivos e relaxar um pouco.

No fim de semana consegui reencontrar um pouco da sanidade perdida e voltei a ter mais paciência. A Clara segue acordando, mas tenho deixado rolar. Amamento quando quero, levo para minha cama quando encho o saco. E assim vamos, uma noite de cada vez.

***

Em tempo: o Fábio encara junto comigo toda responsabilidade com as crianças, inclusive a noturna. No caso da Clara, revezamos, mas muitas vezes é por mim que a pequena chama, até em função do peito.

Sobre cama compartilhada… confesso que já tentamos. A pitoca acorda um pouco menos, mas eu e o Fábio não gostamos muito. Ela é muito espaçosa, como é possível notar no registro, sem qualidade, mas válido pelo momento!

PadraoFotos_Instagram

Comentários Facebook

29 comments

  1. De

    Puxa vida Ananda… Eu imagino o teu cansaço. Mas confesso que li todo o texto pensando em vir aqui te falar pra dar mais uma chance pra cama compartilhada. Será que ela não sente saudades? Não consegues fazer um arranjo pra dormir com ela? Sugiro a leitura do texto da Carol (Baby bobeiras) sobre o Tema.
    Beijos

    View Comment
    • Ananda Etges
      Author

      Eu acho que pode ter relação sim com saudade da mamãe aqui hehe! Até já pensei nela dormir com a gente, mas o ruim é que se ela vem pro nosso quarto o Vítor começa a acordar também (já testamos). Acho que ele fica com ciúmes e daí arruma de um lado e piora o outro! Vou ler o texto da Carol! Obrigada pelo carinho!

      View Comment
  2. Nossa, muito difícil mesmo. Eu passei o mesmo com o Erik que não dormiu de 1 a 3 anos praticamente. Ele acordava mais, viu? Na melhor das hipóteses eram uma 3 vezes por noite, mas essas eram noites boas e raras. Ele chegava a acordar umas 10 vezes, era uma tortura. Tentei de tudo, como você já deve ter tentado mas algo me dizia que ele se incomodava com o nariz quase sempre entupido (ele sempre teve muito muco, o que melhorou depois que cortamos o leite de vaca mas não passou por completo). O médico seguia ignorando e a gente não dormindo. Há alguns meses topei tentar a homeopatia e dias depois Erik passou a dormir a noite inteira. Não estou dizendo que é o caso da Clara mas espero que em breve você consiga descobrir o que pode ajudar vocês. Um beijo

    View Comment
  3. Querida, sinta-se abraçada. Aqui nossa história de não-sono tb é longa e dura até hoje. Sim, meu filho de 3 anos e 2 meses ainda não dorme a noite toda. Minto, ele dorme a noite toda sim, quando está na cama comigo (e já não cabe mais o pai, somente eu e ele e a barriga, enquanto o pai dorme lá no quarto dele). Culpei tudo, assim como vc: alergias, amamentação, apego, "mau hábito", tudo que vc possa imaginar. Hoje em dia, tenho certeza de que o que me ajudou foi: aceitar. Eu simplesmente aceitei e nem me lembro mais disso (a nao ser que me perguntem), quando estou mto cansada, despacho o pai e durmo com ele na cama, pra poder descansar a noite toda. Atualmente, qdo Lucas tá na cama dele, o pai é quem atende, já que estou no final da gravidez e precisando mto descansar, mas vivemos assim, nessa onda meio relax, meio finjo que nao é comigo. Te juro que quando descobrir a soluçao mágica, venho correndo te contar! beijo e força aí!

    View Comment
  4. João sempre dormiu, desde os 2 meses… começou dormindo 6 horas seguidas e hoje em dia, nas vésperas dos 5 anos, dorme uma média de 10 a 12 horas por noite… raramente acorda, qdo isso acontece é por algum incomodo certeiro. Não sei o que é passar a noite em claro com um bebê, tenho vagas lembranças da epoca que o amamentei de madrugada… não sei como reagiria a essa situação, mas provavelmente me adaptaria a melhor situação pra ele dormir, fosse ele comigo, com o pai, na sala, na cama dele, na minha, na rua, na chuva, na fazenda ou numa casinha de sape, pq sem dormir não rola. Na verdade, comecei esse comentario pra dizer que me sinto mal por não poder compartilhar experiencias com as outras mães, na minha roda de amigas, elas querem me matar por João ser sempre o "menino que acorda ao meio dia"… kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk… mas sou solidária. Eles crescem, né? Não é possivel que uma hora não durmam, poxa!!! kkkkkkkkkkkkk…

    View Comment
  5. Mariana Whitehead Guimarães

    Aqui eu tb só fui dormir qdo a Ana tinha mais de 2 anos. Virei zumbi total. Era um caos. Mas Carolina Pacheco, parei pra pensar no seu comentário quando vc escreveu "Final da gravidez". Paniquei. 😛

    View Comment
  6. Ilana

    Ananda, também pasto com o sono do Nicolas aqui em casa. Ultimamente o que tenho feito, que tá melhorando, mas ele ainda tem acordado de uma a duas vezes toda noite:
    – reforço na rotina diária, não só na hora de dormir (escola/almoço/soneca/brincadeira/banho/jantar/leite/cama tudo mais ou menos no mesmo horário).
    – tirei da minha cama, pra onde ele sempre ia no meio da madrugada, não pq eu seja contra cama compartilhada, mas pq ele se acostumou a dormir mexendo no meu cabelo, e aí quem não conseguia mais dormir do resto da noite era eu.
    – spray de óleo essencial de lavanda. Mas óleo essencial mesmo, não qualquer perfuminho com cheiro de lavanda que vc encontra por aí. Dou uma espirrada numa almofada que fica no berço poucas horas antes de dormir e deixo uma fresta de janela aberta pro cheiro não ficar tão forte. Tem ajudado.
    Enfim, sou completamente solidária ao seu sofrimento. Se vc conseguir mais alguma coisa que funcione por aí, compartilha pra gente tentar por aqui. 😉
    Bjo

    View Comment
    • Ananda Etges
      Author

      Ilana, gostei da dica do spray! Vou procurar aqui na minha cidade para ver se ajuda 🙂
      Obrigada pelo carinho e boas noites de sono por aí tb!

      Beijos!

      View Comment
  7. Vanessa Nascimento meu outro filho, o Vítor, teve umas fases chatinhas, mas, de modo geral, não posso reclamar. Agora está com 3 anos e faz um bom tempo que dorme noite toda na maior paz! Beijos!

    View Comment
  8. Nivea, eu lembro de alguns posts teus sobre isso! A gente fica louca e vai tentando de tudo, né? Que bom que o problema do Erik foi resolvido e a paz voltou para as noites de vcs! Que o mesmo ocorra por aqui e em breve, senão vou surtar hehe! Beijos!

    View Comment
  9. Débora

    Olá!
    Passei por esse “sufoco” até os 3 anos e 4 meses de minha filha…ela acordava a cada 2 horas e pedia o peito!
    Só acabou pq ela cai e levou uns pontinhos na boca, a dentista disse q ela não poderia chupar nada e nem mamar! nas primeiras duas noites ela continuou acordando e pedindo pra mamar, aí eu a lembrava q não podia e ela dormia. Desde então, ela dorme a noite t-o-d-i-n-h-a!
    Conclusão: acordava pq queria um chamego com a mamãe!
    Aproveita o chamego, logo passa ela vai ficar tri independente e tu, com certeza, vai sentir falta da “Clara bebê”.
    bjos

    View Comment
    • Ananda Etges
      Author

      Oi Débora! O lado racional me diz isso, mas o lado com sono diz que isso não vai acabar nunca hehehe! Obrigada por compartilhar a tua experiência! Beijos!

      View Comment
  10. Pingback: Por que eu amamento? | Projeto de Mãe

  11. Vanessa

    Ai Ananda! Morri de rir quando li ente post! ele é tão.. tão EU! hahahaa A Manu largou o peito sozinha com dois anos e um mês. Todo mundo era contra a amamentação prolongada.. menos eu.. e foi tri natural. Ela segue apegada comigo.. e segue acordando 6 vezes por noite… pede: ‘mãe, deita aqui comigo’. Eu surto, noite sim, noite não… tenho vontade de deixar ela chorando sozinha.. tadinha.. ainda bem que ela consegue me comover!! Ultimamente ela briga até dormindo, acorda dizendo que não quer (e eu não sei o que ela não quer!!), me empurra da cama se estou com ela.. haja paciência! E tudo que oferecemos para ela a resposta é sempre não! Se ela quer leite e damos a mamadeira pequena, ela quer a grande. E vice-versa. É uma fase bem complicada! Espero que acabe logo e que consigamos sair dela normais… abraços!!

    View Comment
    • Ananda Etges
      Author

      Vanessa, é assim mesmo. Isso do “não” e do querer sempre o oposto é super normal! Passamos isso com o Vítor e agora com a Clara de novo. Haja paciência!!! Hehehe

      Beijos!

      View Comment
  12. Pingback: #Amamentopq – post de Projeto de Mãe | Blog da Marré deci

  13. Liliane Braz

    Estou vendo minhas noites em vcs. Minha bb tem1 ano e 9 meses e ainda n dorme a noite toda. O pior mesmo eh qd ela acorda sem sono e fica a madrugada acordada brincando. Ela nunca dormiu na minha cama e desde 6 meses q dorme no seu quarto e sempre q acorda fico la com ela. Ela tem pouco sono, ja tentei de tudo um pouco, cha, banhos, musicas, ate um calmante natural indicado pela pediatra, e nada. E o pior tb q dorme umas 10:30hs da noite, acorda varias vezes e se levanta de vez as 4:30, 5:00 hs da manha. Durante o dia dorme apenas por volta das 10hs e acorda logo. Noto ela cansada demais, os olhos chegam a ficar com olheiras e stressadinha. Espero q isso passe logo, m sinto fadigada. E n tenho ninguem p ajudar por perto, familia mora no interior e meu esposo trabalha o dia todo e faz academia 3 noite por semana. Minha bb n fica com nunguem pois acostumou so comigo. Sufoco

    View Comment
    • Ananda Etges
      Author

      Liliane! Grande abraço! Muitas mães passam por isso. Espero de coração que as noites sejam melhores por aí. A gente realmente sofre muito pela privação de sono.

      Beijos!

      View Comment
  14. Pingback: Cama nova e a despedida do berço | Projeto de Mãe

  15. Olha,meu filho hoje tem 4 anos e a primeira vez que ele dormiu uma noite inteira foi aos 2 anos e 3 meses.Aos 6 meses levei ele ao neuro e fiz diversos exames pq simplesmente eu cronometrei e ele dormia 3 horas e passava 21 acordado..era surreal aquilo,inexplicável..tentei de tudo massagens especificas,banho de balde de madrugada,nada funcionava e os exames mostravam que ele não tinha nenhum problema,enfim,haja paciência mas tem que haver…é a nossa única saída rsrsrs

    View Comment
  16. Pingback: Desfralde e ansiedade alheia: deixem a criança ser criança | Projeto de Mãe

  17. Pingback: Irmãos no mesmo quarto | Projeto de Mãe

  18. Pingback: Filhos e trabalho: às mães que trabalham fora | Projeto de Mãe

  19. Pingback: Terrible 2: lá vamos nós outra vez | Projeto de Mãe

  20. Pingback: Relato do desfralde noturno do Vítor - Projeto de Mãe | Projeto de Mãe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *