Amamentação: pequeno dossiê informativo

Toda vez que eu penso nas minhas diferentes histórias de amamentação eu me pergunto: o que faltou na primeira vez? Como eu faria diferente?

A resposta que eu consigo chegar é: faltou muita coisa. Faltou informação, apoio, força. Faltou insistir, acreditar, confiar.

Penso nisso não no sentido de me culpar. É com a intenção de entender. Esse olhar interior foi fundamental para que eu pudesse escrever uma nova história de amamentação com a Clara, minha segunda filha, que segue firme e forte no peito com 1 ano e 8 meses.

Por isso, resolvi reunir informações gerais sobre amamentação, com o objetivo de incentivar mulheres que desejam e estão tentando amamentar os seus filhos. Quero que elas se sintam capazes e que buscam informações que possam ajudar no processo. Quero que elas encontrem o que um dia me faltou: informação e confiança.

Aleitamento-1
A mulher que amamenta precisa ser incentivada e respeitada. A família é uma das principais redes de apoio. Deve amparar e acolher a mulher, principalmente nos primeiros meses, tão importantes na consolidação do aleitamento materno. É quanto mãe e bebê estão se conhecendo e entrando em sintonia.

Permitir essa lua de leite é dar condições emocionais e práticas para que a mulher possa se entregar ao filho, sem relógios, sem controle de mamadas, sem pressões.

Aleitamento-2
Esqueça o chá, a água e as frutinhas. Até 6 meses tudo que o bebê precisa é o seu leite, ou, no máximo, o leite artificial indicado pelo pediatra em situações específicas. Antes do 6º mês a criança não está pronta para a alimentação complementar (leia aqui 6 razões para esperar).

Aleitamento-3
Não existe tempo certo para desmamar o bebê. Ignore quando dizem que depois do 1º ano o leite materno é fraco ou não serve mais para nada. Ele continua sendo uma importante fonte de nutrientes, além de representar conforto e segurança para o bebê.

Por que (não) desmamar, texto da Lia, do blog Um, dois, três, saco de farinha.

Material científico da Sociedade Brasileira de Pediatria sobre o desmame.

Aleitamento-4
Um dos motivos para acreditar e insistir na amamentação é, sem dúvidas, a importância nutricional do leite materno. Alimento feito na medida certa para o seu bebê, que vai protegê-lo e ajudá-lo a crescer forte e cheio de saúde!

Leite materno ajuda a prevenir diabetes, hipertensão, obesidade e doenças alérgicas na vida adulta

Aleitamento materno, entrevista do Dr. Drauzio Varella com a pediatra Keiko Teruya

Leite materno e prevenção da obesidade

Aleitamento-5
A livre demanda é super importante na consolidação do aleitamento materno. Faz com que o corpo produza a quantidade certa de leite para o bebê e ajuda a suprir a necessidade de sucção dos pequenos.

Amamentar por livre demanda

Por que a livre demanda é importante?

A livre demanda e a auto-regulação

***

O início de agosto marca mais uma Semana Mundial de Aleitamento Materno. Para destacar a data, pretendo compartilhar aqui no blog informações relevantes sobre o tema e compartilhar um pouco da minha experiência com a amamentação. Por isso, mais posts como esse devem surgir nos próximos dias (:

Também estou envolvida com a campanha “Amamento por quê?”, promovida pela Marré Deci com uma série de blogs parceiros. O objetivo é produzir um vídeo com fotos de mães amamentando. Para participar, basta enviar a sua foto e contar para a gente os seus motivos para amamentar. Vale bebê pititico, vale bebezão, vale quem ainda mama, vale quem já não mama mais. O endereço para mandar material é amamentopq@marredeci.com.br. Contamos com a sua participação!

Comentários Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *