Disputa entre irmãos: salve-se quem puder

Se antes a guerra entre irmãos já estava declarada, agora a fase é complementada com disputas mil. Disputa para ver quem vai apertar o botão do elevador, quem vai ligar a TV, quem vai ganhar fruta primeiro e assim por diante. A competitividade está em tudo. Seja em simples ações da rotina, na busca por atenção ou na hora de brincar.

Um quer o brinquedo que o outro recém pegou. Não importa se o mesmo estava jogado sem ser tocado desde o verão passado. O segredo da tentação é o toque. Um pegou, o outro quer. Daí, vale tudo (para eles, pois pra gente a tarefa é de mediação). Arrancar da mão, morder, dar tapa, empurrar. Uma verdadeira luta livre entre irmãos.

E haja paciência para dar conta e ficar no meio dos dois. O discurso pode ser gravado e repetido mil vezes: não pode, tem que dividir, ele (a) pegou primeiro, vou tirar o brinquedo, na próxima vez é o mano (a).

Então, salve-se quem puder!

Algumas dicas de coisas que tenho colocado em prática e parecem (!) ajudar:

– Tentar intercalar quem faz cada coisa

No caso do elevador, por exemplo: um aperta o botão de fora e outro o de dentro.

– Dar o brinquedo ou objeto para quem pegou primeiro

A preferência é de quem pegou primeiro, sempre. Tento observar quem estava com o brinquedo ou objeto primeiro e explico para o outro que ele deve esperar.

– Sugerir trocas

Quando os dois querem muito o mesmo brinquedo sugiro trocas entre eles, para os dois ficarem com algo que gostam. Se não funciona, também tento mudar o foco para outra atividade, como: “Vamos todos pintar juntos?”.

– Tirar o brinquedo

Quando a disputa pega fogo e nada funciona ou, ainda, quando não sei quem estava brincando primeiro, a solução é tirar o brinquedo. “Se for assim ninguém brinca”. Geralmente uso em último caso e dá choro. No entanto, nada que se estenda muito. Logo arrumam outra coisa para brigar fazer.

Mais dicas para uma mãe que de vez em quando tem vontade de surtar com tanta briga? SOS!

Uma das frases mais ouvidas por aqui

Uma das frases mais ouvidas por aqui

Comentários Facebook

6 comments

  1. Oi Ananda,
    Eu só tenho um filho, mas enquanto lia o seu post me ocorreu que essas disputas poderiam ser uma oportunidade para ajuda-los a aprender a negociar. Tipo assim: pergunte a eles porque o brinquedo deve ficar com cada um e deixe que cada um expresse a sua opinião e você questiona os motivos de forma a fazê-los entender porque essa ou outra posição é mais justa e tal.
    O seu post me lembrou outro post que li no blog da Luíza Diener . Se não tiver visto, confere aí: http://potencialgestante.com.br/bom-senso-e-justica/
    Bjão,
    Jaque

    View Comment
  2. OI!! estas disputas são bem comuns… um dos meus guris se deu conta de que se largasse o objeto da disputa e brincasse com outro, o mano iria querer pegar o outro, e então ele volta para brincar com o "disputado". Algumas vezes, quando o Lucas não tem esta atitude racional, e a briga se inicia, com medo de ser injusto a gente coloca o objeto de castigo… logo eles esquecem. Quanto aos botões do elevador, eles aceitam que os 2 apertem, não importa quem apertou primeiro acendendo a luzinha.. Também estimulamos muito quem brinca um pouco com um brinquedo objeto de disputa e por ser querido empresta para o mano… então ficamos elogiando. Sempre deixamos claro que as coisas devem ser emprestadas para que o outro não chore e fique triste. Não sei se está certo, mas é a saída que achamos nos momentos de gritaria. 😉

    View Comment
  3. Leticia

    Tem horas complicadas…um implica com o outro, brigam porque querem a mesma coisa. Mas estou no mesmo caminho que vc. Quem pegou primeiro, tem direito. Hoje e fulano primeiro no banho, amanha e o outro. E assim vamos indo.

    View Comment
    • Ananda Etges
      Author

      Aqui o pior horário é fim do dia, quando os dois estão cansados. Daí qualquer coisinha é motivo para brigas! Beijos!

      View Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *