4 ensinamentos para fazer seu filho a criança mais feliz do pedaço

Já faz um tempo que li “A criança mais feliz do pedaço”, conhecida obra do Dr. Harvey Karp. O livro foi para o meu top top de leituras maternas e volta e meia pego para reler algum trecho.

livro

Por isso, apresento hoje 4 ensinamentos para fazer seu filho a criança mais feliz do pedaço, com base nas dicas do Dr. Karp. São itens fundamentais e que já me ajudaram muito na rotina com o Vítor e a Clara, principalmente na fase negra dos 2 anos.

1 – Crianças são crianças

Dr. Karp compara as crianças com homens das cavernas, pelos seus comportamentos por vezes primitivos. Além disso, explica que o desenvolvimento normal das crianças pode fazer com que se comportem mal. Por exemplo:

– As crianças são andarilhas compulsivas… e adoram subir nas coisas. Depois de meses limitadas a deitar, sentar e engatinhar, de repente elas ficam empolgadas com o fato de conseguir andar e subir nas coisas. Seu filhinho primitivo anda sem parar do nascer ao pôr do sol, sentindo: Uau, isto é tão legal! (p. 30)

– As crianças têm a atenção de um besouro. Seus filhos voam de uma coisa para outra. Conforme amadurecem, as crianças se tornam gradativamente capazes de se concentrar por períodos mais longos. (p. 30)

– As crianças não conseguem parar de testar os limites. A tarefa dos pais é estabelecer limites inteligentes e a tarefa da criança é testar esses limites. As crianças literalmente não conseguem parar de explorar, tocar e puxar tudo. É assim que elas aprendem sobre o mundo e sobre si mesmas. Assim, enquanto você pode achar que sua criança a está desafiando, ela pode achar que você está bloqueando injustamente sua maior alegria – a descoberta. (p. 31)

De tal forma, tente observar as situações pelo viés da criança. Pesquise sobre seu desenvolvimento físico e emocional, para tentar entendê-la e, assim, poder lidar com mais empatia.

2 – Cada criança tem um temperamento diferente

Parece chover no molhado, mas às vezes esquecemos que cada pessoa é única e, portanto, possui um temperamento diferente.

“Seu temperamento é o estilo de interagir com o mundo: seu ritmo, atitude, flexibilidade e estado de espírito em geral. Ela é cautelosa ou corajosa? Teimosa ou fácil de levar? Calma ou apaixonada?” (p. 31)

Dr. Karp afirma que 3 a cada 4 crianças são fáceis de classificar e se encaixam em um dos perfis abaixo:

– Temperamento fácil: crianças com temperamento fácil de levar. Acordam alegres e prontas para um novo dia. São ativas, toleram bem as mudanças e são flexíveis.

– Temperamento tímido: são crianças cautelosas, observadoras. Ficam facilmente frustradas, temerosas e carentes, além de ficarem infelizes com mudanças.

– Temperamento animado: são crianças “montanha-russa”, com altos e baixos bem marcados. São ativas, impacientes, explosivas, rígidas e desafiadoras.

Perceber o temperamento do seu filho ajuda a aprender a lidar com ele, especialmente em situações complicadas e que podem ocasionar conflitos. Assim, minimiza problemas e faz com que você esteja muito mais conectado com o seu pequeno.

3 – A arte de alimentar as boas atitudes

Trata-se de valorizar os bons comportamentos, minimizando os negativos. Dr. Karp afirma que quando alimentamos as crianças com pedacinhos de diversão e atenção o dia inteiro, raramente temos que lidar com o mau comportamento.

“Alimentar o marcador acende uma grande luz verde para uma criança. É como dizer: ‘Eu gosto do que você está fazendo… Continue!’. E quanto mais você incentivar a cooperação, mais a receberá” (p. 98)

4 – A importância de construir confiança

Quanto mais o seu filho perceber que você acredita nele, mais ele irá acreditar em si mesmo. Confira algumas formas de alimentar a autoconfiança do seu pequeno e, automaticamente, melhorar a relação entre pais e filhos:

– Ouça com respeito: ouvir com paciência e respeito envia a mensagem que você realmente o valoriza como pessoa.

– Peça ajuda: ao pedir ajuda, é como se você falasse: “eu sei que você é capaz”.

– Dê opções: perguntar a opinião do seu filho mostra a ele que você o acha inteligente e que confia nas suas decisões.

– Deixe que ele resolva: seu filho pode levar 5 minutos para resolver algo que você faria em 2 segundos, mas tal construção é extremamente importante para o seu desenvolvimento. Por isso, incentive a sua autonomia e descoberta.

***

Nos próximos dias volto com mais 4 dicas práticas, também do livro, que vão ajudar na rotina com os filhotes.

Por uma criação com apego, mais empatia e respeito (:

Comentários Facebook

3 comments

  1. Pingback: Sobre autonomia e infância: quando os resultados começam a aparecer | Projeto de Mãe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *