5 coisas que ninguém conta sobre amamentação

Chegou ao fim a Semana Mundial de Aleitamento Materno de 2015 (SMAM 2015) e eu fiquei a semana inteira com uma ideia para fazer um vídeo para o canal no YouTube, contando 5 coisas que as pessoas geralmente não falam sobre amamentação. Acontece que gravei 2 vezes, detestei e deletei tudo. Mas, como o assunto rende, resolvi trazer em forma de texto, para não perder a inspiração.

Aliás, abre um parênteses. Como eu tenho dificuldade em fazer vídeo. Eu adoro gravar, editar, no entanto, tenho algumas limitações técnicas (tripé, iluminação, etc) que acabam comprometendo a qualidade. E, como já trabalhei em TV, tenho um senso crítico gigante e não me desapego para postar com falhas, mesmo algumas que talvez sejam imperceptíveis, de modo geral. Mas vou melhorar isso, mesmo! Porque quero muito conseguir manter um ritmo de publicação de vídeos também. Até falei no Face que minha meta seria publicar toda quarta e domingo vídeo, vamos ver se consigo evoluir nisso. Fecha parênteses.

Então, chega de enrolation… confiram as 5 coisas que as pessoas geralmente não contam sobre amamentação e que eu, pelo menos, gostaria de ter escutado na minha primeira experiência como mãe!

1 – O colostro alimenta

O colostro é o primeiro leite produzido pela mulher, algumas vezes ainda na gravidez. Ele é rico em nutrientes e muito importante para o bebê nos seus primeiros dias de vida. É normal ele sair em menor quantidade e, por isso, às vezes as mães podem ficar assustadas, achando que não estão produzindo o suficiente e é necessário complementar.

Contudo, vale trocar uma ideia com um profissional da saúde que esteja acompanhando mãe e bebê, pois na maioria das vezes o colostro é tudo que o RN precisa até o leite descer.

2 – O leite pode demorar para descer

O leite demora, em média, de 3 a 5 dias para “descer”. Até lá, o bebê vai sugar o peito e mamar o colostro. No entanto, algumas vezes pode variar o tempo da descida do leite e isso não é motivo para se assustar. Manter-se calma e tranquila vai ajudar o início da amamentação e o estresse pode justamente fazer com que a “descida” leve mais tempo.

3 – Amamentar dói

No início é normal ter um pouco de dificuldade para amamentar. O primeiro mês, especialmente, é de adaptação para mãe e bebê. No período, amamentar pode ser sinônimo de dor. Quando isso acontecer, é importante observar a pega do bebê e ver se está correta.

Além disso, lembro que nas duas vezes senti muita dor quando o leite “desceu”, parecia que o peito ia estourar de tão cheio e quente. Mais uma vez, ficar tranquila e contar com apoio faz muita diferença, inclusive nos momentos de dor e nervosismo. Ter também um profissional da saúde para tirar dúvidas é importante e pode representar mais confiança para a mãe.

4 – As pessoas vão te julgar

As pessoas vão julgar se você tentar estabelecer uma rotina de amamentação, se você optar pela livre demanda, se você não puder amamentar (pelo motivo que for), etc. Ou seja, você será julgada de qualquer forma e por diferentes pessoas durante o processo de amamentação, seja na fase inicial ou se optar pela amamentação prolongada. Aliás, a amamentação prolongada é um prato cheio de julgamentos.

Mas, quer saber? Sabendo que será julgada em qualquer hipótese, você já se prepara para fechar os ouvidos e ignorar. Treine a cara de alface e pronto, isso não vai incomodar mais.

Amamentação prolongada: praticamos (e muita cara de alface para os pitacos)

Amamentação prolongada: praticamos (e muita cara de alface para os pitacos)

5 – Você vai pensar em desistir (e isso é normal)

Pode acontecer no início, quando mãe e bebê ainda não estamos em perfeita harmonia. Pode ser diante de uma mastite ou outra dificuldade. Pode ser depois da 18286134ª noite em claro, com o baby pendurado no peito. Não importa o momento, é normal pensar em desistir. Isso acontece (e muito).

No entanto, quer uma dica? Pare e olhe para você. O que está incomodando? É a amamentação de fato ou um problema externo? Estresse no trabalho, situação financeira, corpo cansado? Muitas vezes, é algo além da amamentação que gera uma ansiedade e isso reflete em como a gente se sente ao amamentar. Por isso, a dica é tentar corrigir o verdadeiro motivo de incômodo e reavaliar se realmente vale a pena parar de amamentar naquele momento. Será que não é só uma fase? Pensei bem, para evitar um desmame precoce e se arrepender depois!

E você, tem algo para acrescentar na lista? O que gostaria de saber antes da primeira experiência com a amamentação e só foi descobrir depois? Conta pra mim!

Comentários Facebook

10 comments

  1. Nanda acho que seria legal falar que quando o leite vai descer é quando eles mais ficam pendurados no peito, o que geralmente ocorre na segunda terceira noite…lembro isso do livro criando bebês, mas que já passei para frente…. Ah e acho que amamentar prolongadamente gera muuuuito mais julgamentos…. Lucas está com um ano e três meses e não me canso de olhares tortos e de voz espantada: ainda mama! E tem leite? Ora, o que ele ia querer se não tivesse leite? O único problema agora é que à tarde ele tomava mamadeira quando vou trabalhar e agora não quer mais… E nem no copo! Bj

    View Comment
  2. Rafaela

    Hola Nanda, eu acrescentaria que quando o leite desce, existe uma chance da mae ficar um pouco depressiva…isso acontece porque o hormonio prolactina esta a milhao… Entao, existe a possibilidade de que a mae fique um pouco depressiva. Isso aconteceu comigo, quando tive minha primeira filha… Ela nasceu no Chile e tive um super acompanhamento no hospital quanto a amamentacao …. E quando me senti super triste, so fazia chorar…insonias, ainda na maternidade… Recebi esta explicacao da matrona.
    Saber o motivo, alivia muito e voce se recupera mais rapido. esta fase durou 1 semana.
    Fica a dica.
    Bju

    View Comment
  3. Oi! É verdade, no início tem também os saltos e picos, que contribuem com isso. Lembro de uma vez que o Vítor, com 3 semanas, passou a noite toda no peito. Eu chorava de dor, com o seio machucado, e ele só se acalmava ali. Tenso! E sim, a amamentação prolongada é um alvo certo de julgamentos :/ Beijão

    View Comment
  4. Cristhiane

    Olá! Gostei muito desse post, gostaria de ter ouvido todas essas coisas antes de começar a amamentar, teria poupado muito sofrimento e peso de consciência. Um abraço!

    View Comment
  5. Perfeita a lista! Realmente esse mundo da amamentação é cercado de mitos e coisas não ditas. Lembrei também que antes de me tornar mãe achava que amamentar era apenas dar leite para nutrir a criança, mas é MUITO mais que isso. O vínculo criado e a importância que o ato de mamar tem para o bebê são das coisas mais lindas que já vivi na minha vida. Uma pena que as pessoas não saibam o quanto é mágico esse momento entre mãe e filho.

    View Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *