Como encontrei tempo para mim na rotina da família

Quando as crianças nasceram eu deixei de ler, assistir filmes e seriados. Demorei até reencontrar minhas preferências e, especialmente, tempo para isso.

Agora que estamos com uma rotina organizada, depois que as crianças dormem é o meu tempo. Meses atrás eu até tentava adiantar algo de trabalho ou estudo, mas não adianta.

Não tenho mais fôlego depois das 9 da noite, após passar o dia todo de um lado para o outro resolvendo pendências mil. Então, trabalho e tudo mais que for preciso tem o seu devido horário quando as crianças estão na escola. Quando eles chegam, o tempo é só nosso, para brincar, passear ou o que for. E quando eles dormem… quem manda no meu tempo sou.

Acho fundamental a gente ter um tempo individual. Ser mãe é um desgaste físico e mental. Somando trabalho ou outras responsabilidades então… nem se fala! É exaustivo!

A gente pode dizer que dá conta, mas no fundo chega no fim do dia querendo chorar de cansaço. Especialmente quando não conseguimos cumprir alguma meta pessoal ou completar as tarefas do dia, bate aquela sensação de fracasso e culpa.

via GIPHY

Eu já fui muito mais exigente comigo mesmo. Queria ser a melhor mãe, a melhor profissional, a melhor esposa, a melhor dona de casa. No fim, só enxergava frustração.

Eu não sabia reconhecer os meus acertos e as pequenas vitórias diárias. Sempre achava que podia fazer mais e melhor. Até que entrei em uma fase de muito estresse e a sensação era de que tudo tinha saído do meu controle.

Desde então, eu tive que aprender a respirar. A ter mais calma, paciência, inclusive comigo mesma. O bastão da exigência estava lá no alto e era impossível alcançar.

via GIPHY

Por isso que me reorganizei a aprendi a ser mais flexível. Agora, tenho uma lista de tarefas diárias onde marco tudo o que fiz e o que não fiz. As pendências logo são passadas para uma data possível e vou jogando com o que tenho para fazer de uma forma viável. Assim, no fim do dia consigo olhar a minha lista e perceber o quanto rendi, mesmo quando a sensação é de não ter feito nada.

Não adianta a gente programar mil coisas para o mesmo dia. Comecei a ser realista e mais sincera inclusive com quem me relaciono. Alguém pediu algo para amanhã, mas sei que isso vai me sobrecarregar? Então, vou tentar negociar de alguma forma.

Outro ensinamento foi dizer não. Não para o que me aborrece, para o que não tenho tempo, para o que não agrega. Limpei redes sociais, não olho TV aberta. Fui criando espaço só para coisas boas e que me fazem bem.

Nisso a vida ganhou mais leveza. Eu consegui realmente me organizar. De manhã home office com freelas e blog. Depois horário para preparar as aulas. Fim da tarde tempo com as crianças e à noite faculdade ou família, dependendo o dia.

DSC_0032

Curtindo nosso fim de semana

Depois que as crianças dormem o tempo é meu, seja para dormir, olhar filme ou ler. Fim de semana também tento deixar bem livre e voltado para família.

Tudo bem não dar conta de tudo, viu? Se sentir cansada, frustrada e querer fugir para as colinas. De vez em quando a gente precisa aprender a ser mais flexível e a pegar leve com a gente mesma. Eu tô aprendendo ainda, mas já me sinto muito mais tranquila e em paz.

Comentários Facebook

2 comments

  1. THAÍSA

    ESTOU TENTANDO ME DESAPEGAR TAMBÉM, SEMPRE FUI MUITO EXIGENTE COMIGO, SEMPRE GOSTEI DE CASA ORGANIZADA E CHEIROSA, TEMPO À TOA PARA VER FILME, LER… MAS DEPOIS QUE O BABY NASCEU A VIDA MUDOU COMPLETAMENTE. ENTÃO MEU MARIDO VEM SEMPRE ME FALANDO PARA NÃO SER TÃO EXIGENTE, E DEIXAR A VIDA LEVAR, ASSIM VOU CONSEGUINDO FAZER MINHAS COISAS NUM TEMPO MAIS LENTO, MAS QUEM SABE UM DIA TERMINO MINHAS “OBRIGAÇÕES”!!!

    View Comment
    • Ananda Etges
      Author

      No discurso é fácil, mas na prática nem tanto, né? Acaba sendo um exercício diário! Já consegui melhorar bastante, mas ainda sei que posso me desapegar mais. Beijos!

      View Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *