Projeto Londres: e lá se vai 1 mês sem o papai

Nanda_ProjetoLondres3Eu sabia que o tempo passaria rápido, mas não imaginei que tanto. Hoje completa 1 mês que o Fábio está longe. No dia 22 de abril ele foi para São Paulo e no dia 27 direto para Londres. Desde então, eu e as crianças tivemos que reorganizar a nossa vida para um período de transição. Aliás, período que já tem data para o fim: 6 de agosto. Isso mesmo, passagens compradas e contagem regressiva oficialmente valendo.

***

Eu e as crianças estamos nos saindo melhor do que eu podia pensar. Confesso que não é fácil e tem dias em que a exaustão física e mental fala mais alto. Eu me sinto sobrecarregada com tudo que tenho para gerenciar: casa, contas, crianças, cachorro, preparativos para viagem.

E não são poucos preparativos: estou juntando a documentação do Dexter, me preparando para encaminhar meu visto, vendendo as coisas da casa. Tudo ao mesmo tempo e agora.

***

Aliás, sobre a parte da casa, é algo muito estranho. Parece que nada mais é meu. Tudo está comprometido, já com um novo destino traçado. Olho ao meu redor e a sensação de lar começa a se perder. Isso dá um aperto no peito, especialmente pelas lembranças que cada coisa carrega. A cadeira em que o Vítor e a Clara provaram os primeiros sabores. A cama em que já amamentei tantas vezes. A mesa em que planejei diferentes trabalhos. Cada móvel ou objeto carrega um significado especial. Difícil ir se desprendendo. Uma parte de mim tenta adiar, mas não tem jeito.

***

As crianças estão super bem e ainda não demonstram sentir muita saudade do pai. Percebo o Vítor com algumas crises de comportamento, na tentativa de chamar a atenção. Penso que pode ter relação com a falta do pai, pois os dois são muito próximos e é a forma que ele encontrou para manifestar que algo está diferente.

Não falo muito sobre a viagem com o Vítor e a Clara, para evitar gerar ansiedade cedo demais. Quando perguntam quando vamos embarcar digo que ainda vai demorar. No entanto, sempre que possível conversamos sobre o que vamos fazer em Londres e me permito alimentar um sonho meu neles também. Conto sobre as ruas, as lojas, os parques, o metrô. Chego a ficar emocionada imaginando meus dois pedacinhos na cidade que tanto amo, vendo tantas coisas que quero mostrar para eles.

***

Uma coisa que a fase atual acabou proporcionando para nós três é uma maior cumplicidade e união. Tenho sido muito sincera com as crianças sobre como me sinto e sobre tudo que está acontecendo. Os dois sentem quando a barra está pesada e me ajudam a passar por isso da melhor forma possível. Nossa relação cresceu muito no mês que passou e tenho certeza que ainda vai se fortalecer mais ainda nas semanas que temos pela frente.

Foto criada em 21-05-16 às 11.08 #6

***

Em resumo, a vida aqui agora ficou datada. Aos poucos entramos no ritmo de despedida e das últimas vezes.

Mentalmente vai se formando uma listinha do que ainda preciso fazer antes da viagem. Os restaurantes em que quero ir. As pessoas que desejo ver. As risadas que preciso dar. Os abraços que não cabem em mim.

Uma lágrima rolou aqui.

Falta pouco.

Comentários Facebook

2 comments

  1. Paula

    Nossa, 1 mês já! Já repeti tantas vezes a história da mudança de vocês para tantas pessoas que parece que já acostumei com a ideia. Só que não! A única e gigante diferença que percebo quando conto para os outros é que nem todos entendem tão perfeitamente o porquê da “loucura”. Mas eu entendo, claro. Só a saudade que não vai ser tão compreensiva daqui um tempo! Mas ainda temos muito o que aprontar aqui pelo Brasil. 😉

    View Comment
    • Ananda Etges
      Author

      A saudade não vai ser nenhum pouco compreensível mesmo! Love u 🙂 Obrigada por todo help na fase mais intensa das nossas vidas! Beijos!

      View Comment
  2. Pingback: Como fazer uma viagem longa sozinha com duas crianças | Projeto de Mãe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *