Como funciona a nursery em Londres: a adaptação da Clara

Na semana passada a Clara começou a adaptação dela na nursery, que é uma espécie de creche aqui na Inglaterra para crianças entre 3 e 4 anos.

Antes dos 2 anos, os bebês geralmente ficam com os pais, babás ou com uma childminder, cuidadora regulamentada que toma conta de algumas crianças na sua casa.

Com 2 anos algumas crianças podem ter educação pública, mas conforme requisitos específicos (conferir aqui). Já entre 3 e 4 os pequenos têm direito a 570 horas de educação gratuita por ano. Isso geralmente resulta em 15 horas por semana, por 38 semanas do ano.

Importante destacar que o ano letivo aqui começa em setembro e vai até julho.

A Clara fez 4 anos agora em setembro e se enquadra nas 15 horas semanais. Para isso, a matriculamos em uma nursery pertinho de casa.

Quando chegamos em Londres, eu achei que ela já iria para reception, que podemos comparar, de certo modo, com a pré-escola do Brasil. No entanto, as crianças entram na reception no ano em que completam 5 anos.

Ou seja, crianças que nasceram antes de 31 de agosto podem começar a reception e completam 5 anos durante o ano letivo. Já os pequenos que nasceram após 31 de agosto, caso da Clara, que é de 7 de setembro, entram na reception apenas no ano seguinte.

***

Bom, mas voltando à nossa experiência na nursery. A matrícula é feita na própria escola da sua preferência, desde que a mesma tenha vaga. Para isso, levei apenas o passaporte da Clara.

img_20160922_131929104_top
A responsável da secretaria me atendeu com as crianças em uma sala individual. Preenchemos juntas a ficha, com dados pessoais como endereço, telefone, etc. Assinei autorização de fotos para uso pedagógico e autorização de passeios curtos. Fizemos um rápido tour pela escola e marcamos as duas primeiras visitas de adaptação.

Nas visitas eu e o Vítor acompanhamos a Clara. Ficamos junto com ela e as outras crianças das 13h às 15h, quase o período completo que a Clara vai ficar na escola. O horário dela será entre segunda e quinta das 13h às 15h30 e na sexta das 13h às 18h, para assim completar as 15 horas semanais.

A escola da Clara é simplesmente sensacional. As crianças brincam livres e não existe um direcionamento geral de atividade. A sala é ampla e com ligação com o jardim. As crianças ficam todas juntas, assim como as professoras. Não existe a divisão de turmas e salas. Os pequenos trabalham em grupos e cada grupo tem uma professora como responsável. No entanto, de modo geral, o tempo e o espaço é compartilhado entre todas.

Na sala e no jardim existem “estações”, digamos assim, de atividades. Uma mesa com jogos de encaixar, instrumentos musicais, tintas, areia, além de um grande recipiente com água, sabão e brinquedos que vão variando conforme o dia.

Todos os brinquedos ficam ao acesso das crianças, que possuem liberdade para escolher o que querem fazer e quando. Muitas das atividades envolvem potinhos de sucata, folhas, conchas e outros materiais do gênero.

No meio do turno é servido o lanche e as crianças não sentam todas juntas para comer. Quem tem fome vai lá e se serve. Quando termina, joga no lixo o que sobrou e coloca a sua caneca em uma bacia. Assim, a autonomia e a independência das crianças é incentivada.

Sobre a questão da língua, as professoras me passaram muita segurança. Elas usam uma linguagem bem simples e contam muito com suporte de gestos. Além disso, apontam para o que querem mostrar e, assim, as crianças vão entendendo e aprendendo o vocabulário. Por exemplo: a Clara foi fazer uma atividade de pintar a mão e a professora perguntou, apontando para as cores: “red or blue”. Ela sem hesitar respondeu: “blue”.

A Clara gostou das primeiras visitas, mas eu sempre estava junto. Então, vamos ver como será esta semana quando ela começar oficialmente sua vida na nursery.

Confesso que estou animada pois me identifiquei muito com a escola e a forma como a adaptação acontece, com os pais junto com a criança, me passou muita segurança. Acho que minha pequena será muito feliz neste ano letivo na nursery.

Comentários Facebook

2 comments

  1. Pingback: Escola em Londres: a adaptação do Vítor no year 1 | Projeto de Mãe

  2. Maria

    Oi ananda, amando suas postagens
    Para estudar na rede pública da Inglaterra é preciso ser legal ou imigrantes ilegais tbm podem estudar?

    View Comment
    • Ananda Etges
      Author

      Oi Maria! Eu não tenho certeza, mas já vi em grupos de brasileiros em Londres alguns posts sobre isso e se não me engano ilegais também conseguem estudar na rede pública. Abraço!

      View Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *