Mudança na Inglaterra: passo a passo para mudar de cidade

Quando começamos a pensar em fazer uma mudança na Inglaterra, ou seja, mudar de Londres para Liverpool, eu tive muita dificuldade em achar informações práticas e úteis. Fomos descobrindo tudo pouco a pouco, por isso pensei em montar um pequeno passo a passo com dicas que podem ajudar quem está passando pelo mesmo que vivemos recentemente.

Mudança na Inglaterra

ANTES: Escolhendo para onde mudar

Nós decidimos mudar de Londres para uma cidade menor na Inglaterra basicamente por custo de vida/qualidade de vida. Quando demos início ao processo de pesquisa, não sabíamos exatamente onde queríamos morar.

Confira também:
Custo de vida em Londres: quanto custa morar na terra da rainha?

Por isso, a primeira providência foi ler e pesquisar sobre as melhores cidades para morar na Inglaterra. Começamos a conhecer lugares que nunca tínhamos ouvido falar, além de ir tendo uma visão mais geral do país, buscando identificação com certas regiões.

Depois, partimos para a nossa lista de critérios, do que era importante para gente. Chegamos nos seguintes tópicos:

– Ser perto de Londres (algo que depois, pensando melhor, abrimos mão – saiba mais aqui)
– Ter aeroporto ou fácil acesso para um aeroporto
– Possuir opções de aluguel com um valor expressivamente mais baixo, comparando com Londres (pesquisamos muito no Open Rent e Zoopla)
– Ter ofertas de empregos (principal fonte de pesquisa Indeed)

Com base nas pesquisas e nos critérios começamos a montar uma lista de cidades que tinham despertado nossa atenção. Algumas das cidades que simpatizamos e chegamos a buscar mais detalhes:

1 – Coventry: uma das cidades que mais gostamos, estava no páreo até o fim com Liverpool
2 – Birmingham: descartada por índices de criminalidade
3 – Bristol: sem tantas ofertas de emprego dentro do que estávamos olhando
4 – Bath: sempre fez o coração bater forte, mas os aluguéis não eram tão baixos quanto gostaríamos
5 – Windor: custo de vida ainda alto, comparando com outras cidades

O que mais chamou a nossa atenção em Liverpool foi a grande oferta de casas, com aluguel até mais baixo do que nossa expectativa. Construções novas, bairros bem residenciais e familiares, enfim, muita opção no aspecto moradia.

Justamente por isso que no início de agosto reservei um hotel em Liverpool e passei dois dias na cidade, visitando uma série de casas. O objetivo da viagem era também sentir a cidade. Eu já tinha visitado Liverpool duas vezes, mas com olhar de turista e ficando restrita ao centro. Com o Vítor e a Clara meu ponto de vista era de pesquisa mesmo, observando bairros, transporte público e outros pontos que você considera quando pensar em morar de fato em uma cidade.

Na ocasião não cheguei a dar sequência na negociação de nenhuma das casas. Foi um pouco frustrante, pois já tínhamos dado o aviso de saída do nosso flat em Londres e nosso prazo estava curto. Mas parecia que nenhuma era exatamente o que a gente buscava.

Voltei para Londres e continuei a busca online até que cheguei em uma casa de uma imobiliária. Não sei explicar, mas eu senti: é essa aqui! Nossa casa! Aluguel dentro do valor que tínhamos disponível, 3 quartos, jardim. Bairro com fácil acesso de ônibus ao centro, enfim, o que estávamos procurando.

Agilizei o contato com a imobiliária e fechei tudo virtualmente. Em poucos dias tivemos a aprovação do aluguel e programamos a mudança.

DICA: o mercado imobiliário costuma ser muito dinâmico na Inglaterra. Então, quando gostar de algo não perca tempo. A casa que fechamos, por exemplo, iria entrar oficialmente no mercado na segunda, em uma open house para visitas. Eu vi pelo Zoopla na semana anterior, na quarta, e já sinalizei meu interesse real, para fechar o negócio antes da open house. Assim, não dei oportunidade para outros concorrentes.

Claro que fechar o negócio online e sem nem visitar o imóvel não é o ideal. Mas no nosso caso o prazo estava curto e tivemos que “atalhar”, digamos assim, o caminho. Algumas sugestões, se esse também for seu caso:

– Pesquise sobre a imobiliária, para ter certeza que ela existe e não é nenhum tipo de golpe.
– Verifique o email que está em contato com você, para se certificar que é um contato legítimo (que usa o domínio da imobiliária, por exemplo). Você também pode rastrear a pessoa que está falando com você pelo LinkedIn, para checar que ela realmente trabalha na empresa.
– Procure a casa no Google Street View para confirmar o endereço, mas atenção: algumas construções mais novas podem não aparecer ainda no site (situação da nossa casa!).
– Se estiver fazendo contato direto com o proprietário nunca deposite nenhum valor na conta bancária dele sem antes ter a chave e um contrato. Usar uma plataforma como o Open Rent dá segurança para o seu dinheiro, pois o site fica como um intermediário.

HORA DE MUDAR: Dicas práticas para mudança na Inglaterra

– Quando achamos a casa ideal começamos a pensar nos detalhes da mudança. Marcamos a data com a imobiliária de Liverpool, confirmamos com nosso landlord em Londres e com a empresa de mudança. Quem fez o transporte das nossas coisas foi o Márcio Molina, da Molina Removals. Ele é brasileiro e super recomendo o serviço. Ótimo atendimento e serviço impecável.

– Não esqueça de avaliar o que você terá que comprar na casa nova. Nós, por exemplo, precisamos de fogão, geladeira, mesa de jantar e sofá (coisas que o flat em Londres tinha). Não consegui comprar tudo antes da mudança, para já programar a entrega. Algumas lojas podem levar até 3 semanas, então quanto antes você verificar isso, menor o risco de ficar um tempo sem algo importante na casa nova.

– Assim que souber a data da mudança já comece a verificar a transferência de contas e serviços para o novo endereço. A internet logo marquei, pois sabia que podia demorar e ninguém merece ficar sem! A maioria das transferências podem ser solicitadas via internet, de forma bem fácil. Algumas coisas para confirmar em caso de mudança na Inglaterra: council tax, gás, água, luz, internet, licença de TV.

DEPOIS: Primeiras providências após a mudança na Inglaterra

Quando chegar no novo endereço, com certeza você vai precisar de alguns dias para deixar tudo em ordem. No entanto, tente procurar um tempo também para explorar a nova cidade. Faça caminhadas no bairro para ir conhecendo mercadinhos, farmácias, descobrir onde é o Post Office, entre outras coisas que podem ser úteis. Outras sugestões:

– Se tiver filhos, tente fazer o quanto antes a matrícula das crianças na escola. Isso vai garantir que os pequenos percam menos dias de aula, caso o ano letivo esteja em andamento. Aqui mudamos no período de férias de verão, então a escola estava fechada. Assim que abriu, no início de setembro, fui perguntar o que seria necessário para a matrícula (apenas documento de identificação). Preenchi algumas fichas e menos de uma semana depois os dois começaram. Tivemos sorte, pois alguns casos podem ser mais lentos ou burocráticos. Então, não perca tempo.

– Não esqueça de se registrar em um GP no endereço novo. Aqui você pode verificar as opções próximas da sua casa e ver as avaliações do serviço.

– Atualize seu endereço no banco e em sites que costumam mandar folhetos/ofertas.

***

Espero que o meu pequeno passo a passo seja útil para quem está pensando em se aventurar em uma mudança na Inglaterra. Ficou com alguma dúvida? É só deixar nos comentários!

Comentários Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *