Como é a rotina para emagrecer sem sofrer muito com dietas rigorosas

Emagrecer sem Sofrer com dietas


Emagrecer não é fácil, precisa força de vontade. E para o meu caso busquei uma forma de ficar magra sem sofrer muito com as dietas mais radicais.

Eu fui magra um dia, mas, faz tanto tempo que eu nem lembro mais como é a sensação.

Quando chegou a adolescência, eu comecei a engordar: meus quadris tomaram forma (de bola) e as minhas bochechas seguiram o exemplo.

Começou aos poucos, quando eu tinha uns 13 anos e não parou mais.

Aos 16 anos eu estava gorda, gorda de verdade e não gordinha. Só para vocês terem uma ideia, meu namorado achou uma 3×4 desta época e não me reconheceu – sério!

De lá para cá, tenho tentado ficar magra de novo, mas nunca rolou de verdade. Quando eu estava muito gorda, pesando quase 60 kg (eu tenho 1,52 m de altura!), tomei um remédio insano e cheguei a quase 50 kg. Mas, assim que parei, engordei tudo de novo.

Fiquei chateada, mas acabei desencanando e eliminei quase tudo de novo sem prestar muita atenção ao que estava fazendo (ê sanfona!).

Mesmo assim, nunca consegui sair da casa dos 50 – só relembrando, eu só tenho 1,52 m de altura, isso, para mim, significa ser “fofinha”.

No ano passado, comecei a fazer tecido acrobático e percebi que o meu corpo melhorou. Nada significativo na balança, mas estou com menos medo do espelho e de usar biquínis.

Porém, só agora com o projeto #NaBalança que eu estou realmente motivada a perder peso e ficar sequinha para sempre.

Não está sendo a coisa mais fácil do mundo, porque adquirir novos hábitos exige tempo, disciplina e dedicação.

Ficar sem comer coisa gorda é difícil, porque os alimentos saudáveis não são os mais acessíveis e fáceis de preparar, conservar etc.

Malhar é meio chato, é repetitivo, é ruim de se convencer a fazer – verdade.

E você pergunta, por que eu não fiquei fazendo apenas tecido acrobático, já que parece ser uma atividade divertida – e é.

As aulas são uma delícia eu sinto que dá para queimar muitas calorias, só que o resultado não é suficiente para o meu corpo – não para como eu quero que ele fique.

Estou sonhando com um bumbum durinho e com uma barriga chapada e pretendo chegar lá, só não sei quando, porque ainda não posso estabelecer uma meta de tempo.

Havia uma pedra no meio do caminho da magreza


No texto de abertura, contei que estou fazendo acompanhamento com endocrinologista.

Mas, não contei uma coisa chatinha que aconteceu: a médica disse que eu não poderia fazer dieta, pois, estou muito anêmica.

Ela me passou vários exames para investigar a falta de ferro e tentar melhorar isso. A princípio, cortei doces, refrigerantes e evitei farinha branca.

Na primeira semana do projeto, eu já estava no tecido acrobático (faço a mais de 1 ano) e cortei doces.

Na segunda semana a, entrei na academia, comecei a correr na esteira e iniciei a dieta. Até agora, consegui eliminar 2 kg e estou notando que a minha barriga diminuiu sensivelmente.

O resultado não é incrível, mas a descoberta que eu fiz é:
  • malhar de manhã cedinho não dói e é possível mesmo para pessoas super sonolentas como eu – acredite e se tiver dúvidas, pergunte-me como! 

Quando você está na esteira, às 7h, com a respiração forte, você pensa:


“estou fazendo uma coisa ótima para mim, para o meu corpo e para a minha saúde”.

Vale as horas de sono a menos, vale muito. Para manter o novo estilo de vida, é importante manter firme o pensamento de não desistir.

Já furei a dieta com uns pães de queijo, mas não vou repetir. Sempre que algo sair errado, como não conseguir ir à academia ou acabar caindo nas garras doces de um chocolate, nada de lamentações nem melodramas, pois há sempre um jeito de tentar se recuperar para não ser uma jaca de gorda.  De consolo, sempre haverá um chá verde para se purificar do pecado.
Postagem Anterior Próxima Postagem