Entenda o que é a endoscopia digestiva alta

A endoscopia digestiva alta é um exame usado para investigar patologias diversas que podem acometer o aparelho digestivo, sendo que nessa técnica o foco é a análise da parte superior do tubo digestivo que inclui esôfago, estômago e início do duodeno.

endoscopia digestiva

O exame de endoscopia digestiva alta pode ser solicitado por um médico especialista, como o gastroenterologista, ou mesmo por um clínico geral que está encaminhando a avaliação quanto ao aparelho digestivo. Saiba mais sobre o exame e suas indicações a seguir.

Quais patologias podem ser diagnosticadas?


A endoscopia digestiva alta pode ser solicitada em uma série de situações incluindo pessoas que apresentam queixas recorrentes de falta de apetite, mau hálito, queimação, azia, sensação de estufamento, perda de peso persistente, anemia, fezes negras, náuseas ou vômitos persistentes e sensação incômoda no esterno.

Esses sintomas são indicativos de diversas patologias do trato digestivo, de forma que a endoscopia digestiva alta auxilia em um diagnóstico mais preciso de patologias como:

  • Gastrites;
  • Esofagites;
  • Refluxo gastroesofágico;
  • Hérnia de hiato;
  • Câncer de esôfago ou estômago.

O exame também pode ser solicitado no caso de pacientes com predisposição a problemas gástricos na família, como esôfago de Barrett e câncer.

Outra indicação da endoscopia digestiva alta é para monitoramento oncológico, com o exame sendo solicitado a intervalos regulares pelo especialista para avaliar evolução ou regressão de tumores.

Como a endoscopia digestiva alta é realizada?


É comum que a endoscopia gere uma insegurança e receio nos pacientes, principalmente por ser um exame que demanda uso de anestesia. No entanto, a sedação utilizada é administrada via intravenosa e tem uma curta duração, por cerca de 15 minutos, que é o tempo de realização do exame.

Durante a execução do exame, o paciente tem seus sinais vitais, como oxigenação e frequência cardíaca, monitorados.

Após o paciente anestesiado, o médico endoscopista introduz o endoscópio pela garganta. Trata-se de um instrumento flexível com uma câmera e iluminação na ponta que transmite as imagens em tempo real para um monitor.

Durante o exame do trato digestivo, o especialista avalia a integridade dos tecidos, tira fotos para análise posterior e também pode realizar biópsia de tecidos e pólipos usando o próprio endoscópio, o que torna a endoscopia um exame completo e que pode ser usado também para tratamentos.

Após avaliação completa o endoscópio é removido e o paciente é levado para uma sala a parte para um repouso de 15 a 30 minutos para que o efeito da sedação passe.

O que saber antes da endoscopia?


A endoscopia digestiva alta tem um preparo minucioso que inclui um jejum que pode variar de 8 a 12 horas, inclusive, de água e uma dieta mais leve no dia anterior.

As indicações após o exame é principalmente que o paciente repouse o restante do dia, pois pode ficar grogue devido à anestesia e ao longo jejum. Após o exame o paciente já pode retornar aos hábitos alimentares, dando preferência para opções mais leves e evitando bebidas alcoólicas por 12 horas.

É importante que a endoscopia digestiva alta seja solicitada por um médico que acompanha e conhece o quadro do paciente após avaliar se esse exame é realmente o mais indicado para as suspeitas levantadas na anamnese.
Postagem Anterior Próxima Postagem