Elis Bohrer

Cantora Elis Bohrer realiza live romântica para “estreitar os corações afastados pela pandemia”

A live “Ela Romântica”, que será exibida no dia 15 de novembro tem como temática, como o próprio nome diz, o romantismo. Percebendo o esfriamento de muitos casais como também a falta de eventos e oportunidade para unir novos, a cantora Elis Bohrer produziu um show, que ela mesmo definiu, sendo, “ Para estreitar os corações afastados pela pandemia”.

O show musical será transmitido dos estúdios da Proart Comunicação, em São José do Rio Preto (SP). Além da produção artística da própria cantora, a apresentação conta com a produção musical do baterista Rogerio Pinheiro e do baixista Claudio Jumbass.

Se apresentam também o pianista Saulo Molitor, o violinista Felipe Carvalho, o guitarrista Leo Naza e o percussionista Daniel Verllota.

“Nós vamos trazer clássicos do bolero brasileiro, pois consideramos um estilo peculiar para criar um clima amoroso. Então vai ter Nana Caymmi, Fafá de Belém, Cauby Peixoto, afinal, não podíamos esquecer os casais da melhor idade. Vamos fazer também alguma coisa de Tom Jobim, vai ter Rita Lee, Fagner, Guilherme Arantes, enfim, só tem ‘musicão’ no repertório desta live. Esperamos poder embalar os mais variados relacionamentos, namoro, casamento, ou até mesmo aquela ‘ficadinha’, porque não (risos)?”, disse Elis Bohrer.

Número de divórcios subiu durante a pandemia

Desde o ano passado, 2020, com o advento da pandemia do coronavírus, o Brasil passou a registrar um significativo aumento no número de pedidos de divórcio. Em 2020 foi registrado 1,5 % de aumento em relação a 2019.

Já em 2021, no período entre janeiro e junho, segundo um levantamento realizado pelo Colégio Notarial do Brasil (CNB), o percentual disparou, chegando a 24% a mais do que em 2020.

Outro dado que foi revelado também desta vez pelos Cartórios de Registro Civil de Pessoas Naturais, bem como pelas Varas de Família, Foros, Varas Cíveis e Tabelionatos de Notas de todo o país é a queda no número de casamentos, que em 2020 foi 2,7% menor se comparado com o último levantamento, realizado em 2018.

Ou seja, temos mais casais se separando e menos se unindo. Todos esses números podem se relacionar com a pandemia. No caso dos divórcios ela pode estar presente através da convivência entre os casais que precisou ser intensificada por causa do isolamento social. Os casamentos podem ter diminuído em razão da proibição de eventos, bem como por questões financeiras.

A arte como potência curadora antes, durante no sonhado pós pandemia

O período atípico vem revelando muitas coisas, e despertando a humanidade para questões antes vistas como não relevantes. A importância da arte para a saúde mental foi uma destas questões.

A “explosão” no número de acesso às lives musicais, teatrais e até mesmo de exposições de artes visuais como as plásticas e fotografia, mostrou como as pessoas ficaram carentes destes tipos de eventos.

“A arte tem o poder de transcender, transportar a nossa mente para outras realidades, outras vidas e dimensões.  Nós seres humanos precisamos, muitas vezes, sair da nossa realidade, que pode ser muito cruel, a pandemia é um exemplo. 

Além disso, quando você ouve uma música, assiste a um espetáculo de teatro, enfim, não importa o tipo de arte que você vai acessar, mas, você se sente inspirado, motivado e a saúde mental tem muito a ver com isso, com você olhar para a natureza e sentir inspiração. Eu acho que a beleza das coisas traz esse benefício pra gente”, explicou a cantora.

Doações 

O amor pode ser manifestado de diversas formas, fora do âmbito sentimental “é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã”, já escreveu Renato Russo. É nesse clima também que a live será, além de tudo, um espaço para receber doações que serão entregues para artistas de Rio Preto, que ficaram em situação de vulnerabilidade e insegurança alimentar. 

Por isso, ao longo do show musical, quem quiser praticar a solidariedade poderá fazê-lo de casa, através do QR code, que será fixado na tela. 

A entrega dos donativos será divulgada através das redes sociais da cantora Elis Bohrer. 

Elis Bohrer

Crédito: Magda Pinheiro

A ouropretana que foi criada no Rio de Janeiro e hoje vive em São José do Rio Preto (SP), traz como bagagem musical suas vivências junto à artes e artistas, nunca deixando para trás suas origens, “nós fizemos um projeto especial homenageando o movimento Clube da Esquina e música mineira durante a pandemia, em que tive a oportunidade de me conectar com um sentimento nostálgico muito bom, da infância”.

Ativista pelas causas das mulheres, Elis, que tem influências de cantoras como Nina Simone, Aretha Franklin, Alcione, Elza Soares e tantas outras grandes vozes, gosta de projetos intensos.

“Estivemos fazendo projetos musicais com temáticas libertárias para as mulheres e sociedade em geral, essa essência sempre estará em mim, contudo, agora estou em um momento mais brando, a fim de explorar esse lado que ficou adormecido, esse lado romântico.

Penso que a mulher vem de um momento de intensa luta, em que ela, muitas vezes, esquece de sentir, de se sentir, antes de tudo. Parece que temos tanto a fazer e a conquistar que vamos adiando as questões sentimentais, podendo nos perder no meio desse processo todo, deixando de lado a ‘Ela Romântica’ que existe dentro de nós”, contou sobre como seu momento estar atrelado ao seu projeto.

“Esse projeto já virou um ‘cesto de lã bem bagunçado’, pois pensamos nas pessoas que se separaram, o que vêm sendo absolutamente normal nessa nossa sociedades pós-moderna e espetacular, também naquelas que estão juntos tentando dar certo, nas pessoas que estão juntas há muito tempo, completando quem sabe aí uma bodas de prata ou ouro. O projeto reflete também aquelas pessoas que estão JUNTES, nos que procuram alguém e por fim nos que não querem ficar junto de ninguém, mas gostam de música romântica assim mesmo, disse sobre a abrangência de público.

Live Ela Romântica – Elis Bohrer

Dia: 15/11

Horário: 20h

Onde assistir: Link