Troca de fraldas vai além da higiene, é momento de carinho e vínculo

Troca de fraldas vai além da higiene, é momento de carinho e vínculo

Saiba como se conectar com o seu bebê durante a troca de fraldas.

Há uma frase que diz que quando nasce um bebê, nasce também os pais — o que é muito verdadeiro. Isso porque, por mais que você se prepare para receber o seu filho, todos os dias são repletos de novidades, descobertas, aprendizados, experiências e histórias para contar.

A troca de fraldas é uma das funções que os pais realizam com mais frequência, visto que o bebê precisa ser trocado inúmeras vezes ao longo dia.

No entanto, mais do que uma obrigação, esse momento rende muitas histórias engraçadas, que certamente serão recordadas no futuro.

Quem nunca se deparou com um jatinho quente de xixi justamente na hora de fechar fralda? Ou, assim que a troca foi finalizada e o bebê estava limpinho e cheiroso, foi preciso refazê-la devido a um cocozinho inesperado? Faz parte!

Contudo, além de cenas cômicas, trocar seu bebê é um momento de proximidade que deve envolver muito carinho, sendo capaz de aproximar e criar um vínculo entre vocês.

As conversas nos mais variados tons e vozes que simplesmente surgem durante esse cuidado, que vai além da higiene, são um bom exemplo.

Importância da troca de fraldas

Conforme mencionado acima, é preciso trocar as fraldas do seu pequeno muitas vezes até o desfralde. No entanto, o que parece muito tempo se torna pouco ao pararmos para pensar que a criança desfralda a partir dos 2 anos. Afinal, são apenas 2 anos em uma vida inteira.

A questão da higiene deve ser levada muito a sério para evitar assaduras, alergias e proliferação de bactérias. Porém, trata-se também de um momento de carinho e cuidado — e não volta.

De acordo com alguns estudos, entre o segundo e terceiro mês de vida, os bebês já conseguem reconhecer a fisionomia dos seus cuidadores, o que prova que essa tarefa, aparentemente simples e rotineira, é sim uma forma de estreitar os laços.

Vale ressaltar que os meses iniciais de vida do bebê oferecem uma oportunidade única e intensa de construção de intimidade com seu filho. Contudo, para isso, é preciso ter paciência, dedicação e cuidado.

Como se conectar com o bebê durante as trocas?

Agora que você já sabe que as trocas de fraldas vão muito além da higiene, veja como você pode aproveitar esse momento para se conectar com seu filho.

Sorria e converse com o bebê

Você pode começar a conversa avisando ao bebê que precisa trocar a fraldinha dele porque ele fez cocô ou xixi, e que será necessário tirar sua roupinha para que ele fique limpinho, fresquinho e cheiroso.

Explicar ao bebê o que está acontecendo e realmente mantê-lo informado sobre o passo a passo de cada situação é uma forma de acalmar o pequeno.

Além disso, é importante não demonstrar descontentamento com o que está na fralda. Desta maneira, você ensinará seu filho a associar o xixi e o cocô a algo natural (afinal, tratam-se de necessidades fisiológicas que todos têm) e transmitirá princípios de cuidado e higiene.

Estimule as brincadeiras

Recorrer ao brinquedinho predileto do bebê é muito comum para distraí-lo, especialmente se ele já estiver brincando antes de trocar a fralda. Embora não haja nada de errado nisso, a ação de brincar é bem mais interessante do que o brinquedo em si.

Isso porque brincar com o bebê gera uma gama maior de possibilidades e estímulos de interação entre o pequeno e você durante a troca da fralda.

Um exemplo de brincadeira é perguntar ao pequeno onde estão seus pezinhos, suas mãozinhas ou até mesmo recorrer ao tradicionalíssimo “Cadê você? Achou!”, escondendo seu rosto com as mãos e mostrando em seguida. Essa brincadeira vai além da diversão, pois ajuda o pequeno a se reconhecer e desenvolver sua própria autonomia.

Procure tocar o bebê com delicadeza

Pressa e afobação não combinam com o momento sublime e afetuoso da troca de fraldas. Ao tocar o bebê com suavidade e atenção, você perceberá o que o agrada ou desagrada, pois, mesmo que ele ainda não consiga se expressar verbalmente, certamente responderá com expressões e movimentos de incômodo ou satisfação.

Ao notar que o pequeno reage mal ao toque, tente de outras formas que sejam mais delicadas. Uma dica, é fazer carinho e massagem na barriguinha.

A partir desse momento, você conhecerá melhor o seu bebê e estreitará cada vez mais o seu vínculo com o pequeno.