Trabalhar durante a noite faz mal à saúde

Trabalhar durante a noite faz mal à saúde? Tire suas dúvidas!

A jornada noturna é uma realidade para centenas de milhares de pessoas, tanto nas grandes cidades quanto nas áreas rurais.

O adicional noturno é um benefício dado às pessoas que trabalham ou fazem horas extras durante o período noturno, compreendido, nas grandes cidades, como o período entre às 22h e às 5h.

Tal bonificação é bastante desejada, visto que colabora significativamente para o aumento do montante no final do mês.

Embora exista de fato uma vantagem financeira para os que preferem trabalhar no período da noite, muitas pessoas se perguntam: esta prática é saudável para o corpo e para a mente humana? 

É possível que, com o prolongamento das jornadas noturnas, haja perda da sociabilidade ou aumento do estresse? Falaremos sobre essas e outras coisas a seguir.

Trabalhar durante a noite: faz mal à saúde?

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o trabalho noturno pode estar relacionado ao desenvolvimento de quadros de câncer, visto que ele é responsável pela interrupção do que chamamos de ritmo circadiano, que é o período de aproximadamente 24h em que se baseia o nosso ciclo biológico.

É preciso que entendamos o seguinte: o nosso relógio biológico é ajustado pelo mundo externo, por meio da nossa exposição aos ciclos de claridade e escuridão. 

Segundo este artigo da BBC, os trabalhadores noturnos são expostos a níveis menores de luz durante o turno da noite, mas são expostos à luz natural quando estão voltando para a casa, ou seja, após a jornada de trabalho. 

Isso faz com que o relógio biológico interno fique “travado” no padrão claro/escuro que é natural aos trabalhadores diurnos.

O que isso significa, na prática? Que, quando fazemos isso frequentemente, estamos ignorando o nosso impulso biológico – o qual, por sua vez, nos diz que deveríamos estar descansando. 

Para que isso não acontecesse, seria necessário que não fôssemos expostos ao sol após o começo do dia e no retorno da jornada de trabalho noturna, o que sabemos ser impossível.

O que isso gera no corpo humano?

Ainda utilizando como base o artigo que já citamos, o que podemos dizer é: quando não obedecemos ao nosso relógio biológico, ativamos um processo do corpo, o “eixo de estresse”, que é natural, mas que exige a atenção.

Nessas circunstâncias, o corpo reage como se estivéssemos em uma situação de luta ou fuga.

Há o aumento da glicose na circulação sanguínea, além do aumento da pressão arterial. No quesito estresse, vale dizer, é como se o corpo estivesse se preparando para fugir de uma situação de potencial ameaça física ou à vida – isso nos gera, como é de se imaginar, estados mentais ou físicos não muito agradáveis.

Níveis aumentados de estresse aumentam a possibilidade do desenvolvimento de doenças cardiovasculares ou distúrbios metabólicos.

Ao mesmo tempo, podem contribuir para o aumento da incidência de casos de câncer colorretal e de mama, já que suprimem o sistema imunológico.

A privação de sono, por fim, é responsável por dificuldades cognitivas, aumento do cansaço físico e mental, perda de empatia, entre outras coisas.

Como melhorar os impactos do trabalho noturno?

As empresas devem se preocupar em oferecer aos funcionários de jornadas noturnas exames de saúde periódicos, além de outros benefícios corporativos que possam colaborar para o aumento do seu bem-estar e para a diminuição da preocupação com detalhes do cotidiano.

Além disso, convém pensar em possibilidades de melhorar a alimentação dos funcionários: uma vez que a jornada noturna pode colaborar para o desenvolvimento de problemas de ordem metabólica, alterações significativas na forma de se alimentar, além do aumento do consumo de água, podem ajudar no processo de mitigação de problemas múltiplos.

O ideal é que, durante a jornada de trabalho, não haja aumento significativo do consumo de açúcares e carboidratos. Tais coisas são responsáveis pelo aumento de peso corporal, mas também podem engatilhar quadros como a diabetes tipo 2.

É importante que o profissional se esforce para, nos momentos em que não estiver descansando ou no trabalho, manter-se socialmente ativo (e com hábitos saudáveis, como a ausência de tabagismo, o consumo moderado de bebidas alcoólicas, etc).

Conversar com a família, sair para passear ou comer com amigos e praticar atividade física são coisas que auxiliam na diminuição do impacto da jornada de trabalho noturna.