Piercing na orelha, tipos de materiais, dicas e cuidados

Pensando em colocar piercing na orelha? Esse acessório pode adornar e trazer muito estilo para o visual, mas existem alguns cuidados importantes para serem tomados antes, durante e após a colocação dele.

Os diferentes tipos de piercing

Existem muitos tipos de piercing e a seguir listamos eles para você.

Lóbulo: esse é o brinco comum, havendo uma certa controvérsia se ele de fato seria ou não um tipo de piercing. No entanto, se existe perfuração para a sua colocação, esse é sim um tipo de piercing.

Conch: um dos piercing mais comuns, sendo colocado na orelha atravessando a parte interna da cartilagem. É normal que se use mais de um, lado a lado. Mas a cicatrização desse tipo de piercing é mais difícil, algumas pessoas até mesmo não conseguem mantê-lo. O tipo de joia usada também influi.

Helix: esse é o tipo mais comum de piercing. Ele é colocado na parte superior da orelha. Atualmente existem diferentes tipos de Helix, tais como o Helix que é fixado na parte superior e o Low Helix que é colocado mais para a parte central da orelha.

Tragus: um tipo que é bastante charmoso. Esse é fixado no pedacinho de pele que fica logo ali na parte frontal do canal auditivo. Mas é importante saber que esse tipo de piercing na orelha é bastante doloroso para ser colocado e sua cicatrização é mais demorada.

Anti-helix: esse tipo é fixado logo acima do Tragus e de frente ao Helix. Ele deixa um visual muito bonito e delicado.

Antitragus: já esse é um tipo de piercing menos comum, mas que é usado quando se deseja somar com outros piercing ali. Ele localiza-se a frente de onde estaria ou está o Tragus. Esse também possui um tempo maior para cicatrização.

Contra conch: outro tipo de piercing na orelha que possui uma cicatrização demorada, podendo haver infecção. E aqui o tipo de joia escolhida é extremamente importante. A fixação desse se dá entre o helix e o conch, sendo assim um meio termo.

Rook: colocar esse piercing é também algo bastante dolorido, sendo um dos mais difíceis entre os aqui citados. A colocação desse tipo é no sulco interno da cartilagem, naquela área da dobrinha. Mas é um dos mais lindos, dando um verdadeiro charme ao visual.

Tash Rook: esse é fixado na cartilagem interna superior, ali mais para o meio da orelha. Esse nome foi dado para ele porque esse tipo foi criado pela Maria Trash, mas é também conhecido como Flat. É também um tipo que demora mais em sua cicatrização e se deve cuidar para evitar infecção.

Trash Helix: mais ousado e mais elegante ao mesmo tempo. Esse é um tipo de piercing na orelha que usa uma correntinha pendurada nesse local. Parece que são feitos dois furos, mas é apenas um e há uma base que fica abaixo da orelha. Esse é um dos tipos de piercing na orelha mais novos que existe.

Industrial: agora se você quer um piercing mais ousado esse é o tipo ideal. Ele é também conhecido como piercing transversal e para sua fixação são usados dois furos. Depois disso, há uma haste que atravessa a orelha.

Sobre a escolha da joia

É importante que a primeira joia usada no local perfurado seja uma joia reta, isso ajudará a cicatrização a ser mais rápida.

Isso acontece porque esse tipo de joia não se movimenta, tal como seria com uma argola, ela fica mais estável e também não acumula sujeira.

Mas há um tipo de piercing que é o Daith em que você pode usar uma argola como primeira joia. Na realidade a recomendação seria por essa joia assim, dado que a anatomia da orelha o permite.

Cuidados com o piercing na orelha

Dois cuidados essenciais para quem planeja colocar piercing é na escolha do profissional que fará essa colocação e na joia usada. É extremamente importante que o ambiente seja regulamentado, a joia seja adequada e o processo siga todos os procedimentos para evitar infecções.

Outra coisa importante é que se esteja com as vacinas em dia antes de colocar um piercing, dentre as quais a vacina contra tétano e a contra hepatite.

Após colocar o piercing é importante manter sempre a área limpa, lavando as mãos antes de tocá-lo. Limpe a pele ao redor do local onde foi feita a fixação usando um cotonete com solução salina.

Produtos como cremes, maquiagem, etc. devem ser evitados. Evite usar qualquer tipo de produto químico nesse área, pois eles podem fazer com que a cicatrização demore mais tempo para acontecer.

É normal que a área fique por alguns dias vermelha, dolorida e inchada. Apenas fique atento porque é nos primeiros meses em que o risco de infecção pode ser maior. No mais, aproveite o seu piercing na orelha para compor um look estiloso, delicado ou sensual.

Piercing na orelha