Talharim é uma das massas mais tradicionais da Itália, conheça a história e receitas de sucesso

Você sabia que existem mais de 300 tipos de massas no mundo? Com tantas opções dessa gostosura, fica difícil escolher a mais gostosa e a que mais gostamos, não é mesmo?

Ainda mais aqui no Brasil. Embora todos falem que apenas a Itália é o país das massas, o nosso país está entre os 3 países que mais consomem massas no mundo – portanto, já podemos falar que o Brasil também é o país das massas!

Segundo dados da ABIMA (Associação Brasileira das Indústrias de Massas Alimentícias), no país, consumimos cerca de 1 milhão e 200 mil toneladas de massas por ano. 

É muita coisa! Dentre os pratos mais buscados por aqui está o macarrão, é claro. Uma alternativa prática, saborosa e muito versátil que todo brasileiro adora.

No entanto, outra receita que também faz um grande sucesso por aqui é o talharim.

Você já ouviu falar ou experimentou? Quem prova adora e passa a tê-lo entre seus pratos favoritos. Assim como o macarrão, o talharim é fácil de fazer, super saboroso e bastante versátil – há centenas de receitas com essa massa.

Uma mais gostosa que a outra, é claro. Muitos confundem o talharim com o fettuccine, outro prato incrível bastante conhecido pelos amantes de massas.

Então, para solucionar todos os mistérios do talharim, criamos este conteúdo incrível.

Abordaremos a história desse tipo de massa tão gostosa que está se popularizando pelo mundo, algumas curiosidades e as principais diferenças entre o talharim e o fettuccine para ninguém confundir nunca mais.

Vamos lá? Acompanhe!

Talharim: saiba mais sobre essa gostosura

As massas surgiram há muitos anos, a maioria delas no século passado, inclusive. Por esse motivo, há diversas versões sobre a história de cada receita – com o talharim não é diferente.

Existem duas principais versões sobre a história do prato. Mas, antes de conhecê-las, vamos entender o que é o talharim. O nome dessa massa vem do italiano tagliarini, no entanto, há algumas traduções famosas do termo.

Além de talharim e tagliarini, em inglês essa massa é chamada de noodle, termo que vem do alemão nudel. Independentemente do nome, o importante é que esse prato se dá por um macarrão cortado em tiras finas.

Essa massa é mais leve e saborosa, podendo ser cozinhada com carne, frutos do mar, cogumelos, legumes, entre outras diversas alternativas. O que torna o prato ainda mais versátil e atrativo.

Na China e no Japão, por exemplo, o talharim faz parte integrante da dieta nacional. Ou seja, um dos costumes culinários do povo asiátio é, de fato, comer talharim no dia a dia. 

Eles servem a massa sozinha, ou com sopas, saladas e até mesmo pratos quentes. Esses acompanhamentos e formas de preparar a receita só ajudam a evidenciar a deliciosa massa preparada com farinha de trigo, arroz, feijão-mungo ou trigo-sarraceno.

Essa massa é leve e neutra, portanto, combina com diversos molhos, e quando é fresca fica mais gostosa ainda. Já conseguimos imaginar um almoço de domingo bem fresquinho com essa gostosura!

É uma delícia, vale a pena ousar nas receitas de talharim e até mesmo inovar nos molhos. Embora se tornem pratos diferentes, o delicioso sabor da massa será o mesmo – dá água na boca só de imaginar!

Agora que sabe tecnicamente o que é o talharim, vamos às histórias desse prato tão incrível. 

Onde o talharim surgiu?

Como mencionamos, há duas versões famosas sobre a história dessa gostosura. A primeira delas é que a massa de talharim surgiu na Itália, na região de Sicília, no século 13.

Até hoje, o talharim é uma das massas mais tradicionais da região, fazendo parte da cultura e história do país.

A história é que um macarrão mais achatado e cortado em tiras mais finas foi criado e de repente, todos adoraram a receita e o sucesso dela começou a acontecer.

A outra versão é que, na verdade, o talharim é originário da região italiana do Piemonte, no norte da Itália, onde é chamada de tajarin ou taglierini. Segundo os amantes de massa, o verdadeiro talharim é de lá!

Nessa receita, o taglierini piemontês leva entre 10 e 15 gemas de ovos por quilo de farinha (alguns cozinheiros da região colocam até 30 gemas para deixar a massa ainda mais bonita, com aquela cor “ouro” que diferencia o prato).

De qualquer forma, o talharim pertence à linhagem do linguine, fettuccine e tagliatelle. Uma receita mais gostosa que a outra, não é mesmo? Impossível decidir qual a melhor.

O que nos leva a dúvida: talharim e fettuccine são a mesma coisa? É claro que não, embora sejam parecidos!

Diferenças entre talharim e fettuccine

A diferença entre essas duas receitas é muito técnica, está na largura das “fitas” do macarrão. O talharim é mais fino enquanto o fettuccine tem tiras mais grossas. É algo sutil, mas a diferença existe.

Ambas opções são deliciosas e devem ser testadas por você – seja comendo em um restaurante italiano ou fazendo em casa. 

E aí? Gostou de conhecer essa história? É interessante descobrir o que está por trás dos alimentos que consumimos, isso é pura história e cultura. No entanto, o importante mesmo é se deliciar com essas massas, aproveite.

Talharim é uma das massas mais tradicionais da Itália