Como o cigarro caneta pode ajudar a parar de fumar?

Há muito tempo se discute o quanto fumar cigarros de tabaco tradicionais é prejudicial para a saúde. 

Dentre os malefícios, o hábito pode desencadear mais de 50 tipos diferentes de doenças como problemas pulmonares, diversos tipos de câncer, AVCs, infartos, entre outros.

Além disso, quem fuma ingere, junto com a fumaça tragada, mais de 4.700 substâncias tóxicas, como o benzopireno, metais pesados e elementos radioativos, assim como componentes químicos desprendidos com a queima da tinta e do papel que envolve o cigarro. 

Por essa razão, muitas campanhas são elaboradas com o intuito de desestimular o uso do cigarro. 

Além dos alertas dos malefícios impressos nos maços de cigarro e da proibição do fumo em lugares fechados, a indústria do tabaco é altamente taxada pelo governo e não pode fazer propagandas, tudo isso visando dificultar o acesso ao produto. 

Com isso, o número de cigarros fabricados vem caindo no Brasil e, em nível mundial, a população que se declara fumante também diminuiu.

Em 2015, 1,32 bilhão de pessoas se declaravam fumantes e, no ano passado, 2021, esse número caiu para 1,3 bilhão, segundo dados da Organização Mundial da Saúde.

Ao todo, 60 países se empenham para alcançar a meta global de redução de 30% no uso do tabaco entre 2010 e 2025, cujo objetivo esperado é fazer com que o número caia para 1,27 bilhão de fumantes nos próximos três anos.

E embora esses dados sejam positivos, o uso de cigarros tradicionais continua sendo um problema de saúde pública. 

Afinal, não basta saber que o hábito faz mal para a saúde, é preciso muito esforço para abandoná-lo, uma vez que a composição do cigarro é altamente viciante e traz uma grande sensação de bem estar e redução do estresse imediato para quem o utiliza. 

Atualmente, existe uma gama enorme de produtos que visam ajudar os fumantes no processo de mudança de vida, como adesivos e chicletes de nicotina, comprimidos e diversas terapias alternativas, e é preciso testar para ver o que faz efeito em cada caso. 

Uma boa opção também é a utilização de cigarros eletrônicos que, por simularem bem o fumo, ajudam na substituição sem alterar em nada o prazer do uso do cigarro tradicional, mas sem todas aquelas substâncias que fazem mal para a saúde. 

A seguir, veja tudo o que você precisa saber sobre a caneta a vapor, uma das opções mais recomendadas para quem deseja adotar hábitos mais saudáveis. 

Como funciona o cigarro eletrônico caneta?

Os cigarros eletrônicos caneta são dispositivos eletrônicos para fumar discretos, compactos e de fácil utilização. 

Também conhecidos como pens – caneta, em inglês – ou vapes cilíndricos, os aparelhos têm formato arredondado e anatômico, podendo ser manuseados com o simples apertar de um botão, de forma bastante confortável. 

Ao acionar o dispositivo, a resistência que o compõe será estimulada eletricamente, aquecendo o líquido saborizado, fazendo com que este se torne o vapor que será tragado. 

Por ser fácil de usar – basta ligar e tragar – o uso das canetas a vapor lembra muito o do cigarro tradicional, sendo assim ideal para quem quer se tornar um ex-fumante. 

Diferente de outros modelos de dispositivos eletrônicos para fumar disponíveis no mercado, os vapes cilíndricos têm manutenção bastante simples, bastando fazer uma limpeza periódica para garantir seu bom funcionamento. 

Além disso, recomenda-se sempre seguir as indicações dos fabricantes sobre os juices, peças de reposição, carregadores e baterias que podem ser utilizados no aparelho, para não gerar riscos como quebras e outros problemas decorrentes da má utilização. 

Como fazer o controle da ingestão de nicotina?

A nicotina é um dos elementos com maior potencial viciante dentro de um cigarro. Por isso mesmo, é difícil abandonar o hábito de consumí-la de uma hora para outra. 

Entretanto, quem opta pela utilização dos cigarros eletrônicos pode fazer isso com tranquilidade e segurança, uma vez que existem juices nicotinados no mercado, também conhecidos como nicsalts, com diferentes gradações do composto. 

Desse modo, é possível ir cortando o consumo aos poucos, optando por concentrações cada vez menores até conseguir parar completamente, tudo dentro de seu próprio ritmo. 

Apesar de ainda ser viciante, a nicotina dos cigarros eletrônicos não faz mal para a saúde como  a dos tradicionais, uma vez que seu efeito, quando vaporizada, ocorre apenas na boca e na garganta, não indo para os pulmões, o que acontece quando há a queima. 

Além disso, é possível escolher diversos sabores de juices – café, doces, frutados, mentolados, bebidas, atabacados, entre outros – o que deixa a experiência da vaporização ainda mais prazerosa. 

Outro ponto positivo para os cigarros eletrônicos é que eles não deixam cheiros desagradáveis no ambiente, e nem geram fumantes passivos, que também são prejudicados com o uso dos cigarros tradicionais de papel. 

Quais são os riscos na utilização?

Como todo produto que será ingerido, deve-se ter o máximo de cuidado possível na hora da escolha tanto do dispositivo, quanto do juice. Opte por marcas conhecidas, de confiança, que garantam a qualidade do vapor produzido. 

Embora isso possa significar investir um pouco mais de dinheiro na aquisição do aparelho, é sempre bom ter a certeza de que não teremos sustos, evitando problemas maiores.

Vale lembrar também que, embora o preço inicial do investimento em uma caneta a vapor possa ser significativamente maior do que a compra de um maço de cigarros, o produto é bastante durável e, no longo prazo você economiza tanto com a compra, quanto com a saúde, 

Onde adquirir dispositivos eletrônicos para fumar?

Se você se interessou por essa possibilidade de adotar hábitos mais saudáveis, busque por uma tabacaria de confiança para adquirir seus produtos.

Lembre-se de verificar a autenticidade e boa procedência dos dispositivos e juices e, em caso de dúvidas na hora da aquisição, consulte sempre um profissional especializado para te ajudar a fazer a melhor escolha. 

Como o cigarro caneta pode ajudar a parar de fumar