Piolhos: uma visita indesejada

Então que recebemos uma visita totalmente indesejada na cabeça da pequena Clara: piolhos. Pequenos malditos que nos incomodaram por quase um mês de muita coceira.

Tudo começou com um bilhete da escola, pedindo para os pais olharem a cabeça das crianças. A Clara estava com coceira nos últimos dias, mas eu não tinha relacionado com isso. Quando vi o bilhete tive certeza que acharia algo nos cabelos dela. E foi batata!

Na primeira olhada já achei um ou outro. Mandei mensagem no mesmo dia para pediatra, que recomendou um shampoo especial. Fui direto para a farmácia e comprei. Segui o passo a passo e no pente fino já saiu mais um.

A partir de então, comecei a passa o pente fino de plástico que acompanhava o shampoo todos os dias. Quando ia lavar o cabelo da Clara, enchia de creme de pentear antes do banho, para facilitar o uso do pente. Ficava por uma meia hora “rastreando” os cabelos.

Na primeira semana, tirei piolho quase todo dia. Depois, comecei a observar que ela estava com muita lêndea. Detalhe que as lêndeas são terríveis para tirar. Só saem na unha, uma por uma. Então que comecei a ler tudo que era dica para tirar os ovos e, assim, dar adeus de vez aos piolhos.

Uma das informações que encontrei era usar vinagre ou álcool. A ideia é passar no cabelo e fechar com uma touca de pano, para “abafar”. Lembrei que minha mãe fez isso comigo quando eu era criança e tive piolho. Como queria evitar usar remédios fortes, pensei: não custa tentar.

E não é que funcionou super bem? Passei álcool e ele ajudou a matar as lêndeas. Na verdade, ele deixa as lêndeas mais inchadinhas e fáceis de tirar com a mão. E foi isso que fiz.

No total, foi quase um mês de função. E, por mais que eu estivesse de olho na cabeça da Clara, tenho certeza que nem todos os pais foram tão efetivos. Assim, demorou até que todas as crianças recebessem cuidados, parando de passar umas para as outras.

Também não sei como ninguém mais aqui de casa pegou. Jurava que o Vítor não ia escapar, porque os dois fazem tudo juntos e estão sempre grudados. Mas deu sorte e ficamos imunes, apesar de muita coceira psicológica!

Com a experiência, uma dica que recebi é em relação ao pente fino de aço. Dizem que é ótimo e bem eficaz. Eu não achei para comprar, então segui firme com o modelo que tinha, de plástico mesmo.

Outra sugestão é para conseguir olhar com calma a cabeça da criança. Eu sempre colocava a Clara na cadeira de comer para mexer nos seus cabelos. Ela ficava olhando TV ou brincando com algo na mesinha, enquanto eu aproveitava a sua concentração. Deu super certo e recomendo usar a mesma tática de distração.

Também é importante ter uma atenção especial com a roupa de cama. Lavei com mais frequência e cuidei para que o Vítor e a Clara não ficassem trocando de travesseiro, como geralmente fazem.

E por aí, já rolou visita de piolho? Como foi para mandar os indesejados embora de vez?

ProjetoDeMae_Fotos_74

Comentários Facebook

2 comments

  1. Pingback: PIOLHOS – VISITA INDESEJADA | Enciclopédia Materna

  2. Esse dias veio bilhete da escola… fiquei aflita e olhando a cabeça toda hora… mas ele é bem loirinho e fica mais fácil… não achei nada e notava que nao tinha coceira… ele vai fazer 04 anos e até agora não pegou, mas sempre olho a cabeça pra ver se não temos visitas kkkkkk

    View Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *