Brinquedo de brincar… simples assim!

De um lado, um mundo cor de rosa. Bonecas esperando para serem alimentadas, banhadas, embaladas. Fragilidade, cuidado. Fadas cheias de brilhos, estrelinhas, flores. Kits de maquiagem. Barbies vestidas com roupas da última moda. Perto delas, o carro, a casa, o pacote família completo.

Do outro, o universo azul dos monstros e heróis. Vilões com armas biônicas, espadas, facas e cordas. Esportes radicais, emoção, adrenalina. Carrinhos, pistas. Força, imponência.

A mãe entra na loja, confusa no meio de tantas opções. Procura um presente.

– Oi, posso ajudar?

– Sim, eu queria ver um presente para uma criança.

– Brinquedo de menino ou de menina?

– Brinquedo de brincar.

É tão difícil assim, gente?

Por que as coisas precisam ser em caixinhas determinantes que te enquadram em X ou Y? Por que as crianças não podem receber estímulos diversos, tendo liberdade para escolher o que mais agrada? Por que ainda estamos presos na maldita dualidade do rosa e do azul, sendo que existe um mundo colorido lá fora?

E, por fim, por que diabos o Homem Aranha não pode dar uma banda por aí de boa com o Pequeno Príncipe no seu carro cor de rosa?

Na nossa casa, vale tudo. O importante é brincar (e muito!).

E por aí, como funciona?

carro

Comentários Facebook

2 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *