Jeffrey Epstein assinou testamento para proteger US $ 577 milhões dois dias antes de sua morte



Dois dias antes de cometer suicídio, o megainvestidor Jeffrey Epstein assinou um testamento, confiando todos os seus bens a um grupo de investimento, segundo documentos judiciais divulgados pelo jornal The New York Post.

De acordo com esses documentos, registrados nas Ilhas Virgens dos Estados Unidos, Epstein confiou seus ativos - que chegam a cerca de 577 milhões de dólares - a um fundo fiduciário chamado "Trust 1953", informou o jornal de Nova York.

Ao depositar sua fortuna em uma relação de confiança, ele escondeu da vista do público as identidades dos beneficiários, sejam eles indivíduos, organizações ou outras entidades. Para as mulheres que tentam cobrar de seus bens, a primeira ordem do dia será convencer um juiz a perfurar esse véu e divulgar os detalhes.

A partir daí, as mulheres terão que seguir o curso que teriam que seguir, mesmo que Epstein não tivesse criado uma relação de confiança: convencer o juiz de que elas têm direito a indenização como vítimas de crimes sexuais. O juiz teria que decidir quanto eles deveriam receber e se reduziria os valores dados aos beneficiários nomeados de Epstein, que também receberiam sua opinião em tribunal.

“As pessoas ricas geralmente tentam esconder ativos em trusts ou outros esquemas legais. Acredito que o tribunal e seus administradores vão querer fazer o que é certo com as vítimas de Epstein e, se não, lutaremos pela justiça que há muito tempo está atrasada para eles ”, disse a advogada, que representa vários acusadores de Epstein.

Este recuso é usado tradicionalmente para proteger a confidencialidade dos beneficiários, segundo um advogado citado pelo New York Post.

Alguns especialistas questionaram a validade do testamento, o que poderia ser contestado se for considerado ou testemunhado de maneira inadequada.

Nenhum beneficiário está nomeado no testamento, que só identifica as pessoas responsáveis por executá-lo, acrescentou o jornal.

No testamento, estão a mansão do magnata em Manhattan, onde teria abusado sexualmente de muitas jovens e menores, avaliada em cerca de 56 milhões de dólares; seu rancho no Novo México (17 milhões de dólares); sua propriedade em Paris (8,6 milhões de dólares); assim como duas ilhas nas Ilhas Virgens: Little St James Island - apelidada por alguns de "Ilha da pedofilia"-, e Great St James Island, recentemente comprada e onde planejava trabalhar (avaliadas 85 milhões de dólares).

Além destas propriedades, estão relacionados cerca de 307 milhões de dólares em ações e outros investimentos, 56 milhões em espécie e aviões, barcos e automóveis avaliados em 18,5 milhões, segundo o jornal.

Epstein, um investidor que circulava entre ambientes influentes, cometeu suicídio, segundo as autoridades, em 10 de agosto no Centro Correcional Metropolitano de Nova York, onde permanecia detido após ser acusado de organizar uma rede de abuso de menores de idade.

Fonte: https://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2019/08/19/interna_internacional,1078419/epstein-assinou-testamento-dois-dias-antes-de-sua-morte.shtml

https://www.theguardian.com/us-news/2019/aug/22/jeffrey-epstein-trust-fund-will-damages

0 comentários:

Postar um comentário

Artigos Publicados

Tecnologia do Blogger.