Ginástica facial, será que eles realmente funcionam?

Fazer exercícios físicos é uma orientação geral para uma vida saudável, mas e a ginástica facial? Diversas revistas voltadas para o público feminino trazem dicas sobre como exercitar os músculos do rosto.

As promessas são bem interessantes: fortalecimento muscular, afinar e tonificar a face e reduzir os sinais de envelhecimento. Mas será que isso realmente acontece? 

Existem evidências científicas de que eles substituem o trabalho de um especialista em Rinoplastia e podem te ajudar a ficar com um nariz mais harmônico? Ou que podem reduzir o tamanho das suas bochechas ou rugas?

Se você também tem essas dúvidas, este é o momento de conhecer a verdade por trás dos exercícios faciais. Confira!

O envelhecimento e suas consequências na face humana

Ter um rosto bonito, com estruturas harmônicas e pele lisa e esticada é o desejo de muitas mulheres. Mas isso também pode causar estresse e fazer com que as pessoas acreditem em soluções milagrosas.

O envelhecimento é um processo natural e tem suas consequências. A flacidez, o aparecimento de rugas e a queda da ponta do nariz são alguns dos problemas que mais incomodam o público feminino.

Em geral, esses processos começam a ocorrer por volta dos 30 anos de idade e vão piorando progressivamente. Cuidados diários, produtos de qualidade e procedimentos estéticos são as soluções mais eficazes.

O que a ginástica facial promete

Ficar insatisfeito com os sinais do envelhecimento não é nenhum problema. Na verdade, a beleza é uma virtude e devemos sempre buscar a nossa melhor versão. Entretanto, é necessário ser criterioso e ficar atento aos recursos que te apresentam para superar a situação.

Se você está em busca de soluções naturais para a flacidez da pele do rosto, para a mudança no formato do nariz e até emagrecimento da face, já deve ter ouvido falar na ginástica facial.

Esses exercícios são uma sensação e muitas celebridades e influenciadores os indicam. Segundo eles, os exercícios faciais:

  • ajudam a emagrecer o rosto;
  • deixam sua pele mais lisa e tonificada;
  • podem reverter o processo de envelhecimento.

Por que essas promessas são duvidosas

É muito provável que você tenha lido em sites, revistas, blogs e redes sociais sobre os resultados alcançados com a ginástica facial. Porém, precisamos deixar claro que não existem evidências científicas de que eles têm todo esse poder.

Na verdade, existem poucos ensaios clínicos sobre o tema. Contudo, um estudo pequeno conduzido nos EUA, sugere alguma melhora com tais exercícios. Como ainda é preciso aguardar testes mais efetivos e em grande escala, não podemos afirmar que eles sejam totalmente ineficazes.

Apesar de tudo isso, o importante é que você entenda que essas promessas são frágeis. Afinal, a informação é a base de tudo!

Não é possível afinar o rosto com exercício localizado

Em primeiro lugar, exercitar os músculos gera a queima de calorias e isso pode emagrecer. Porém, ninguém escolhe onde a gordura será eliminada. Então, dizer que movimentar as bochechas faz com que elas fiquem mais finas é, tecnicamente, um erro.

A promessa de perda de gordura localizada por meio de ginástica na mesma região não se sustenta. Diversos especialistas e pesquisas já concluíram que o emagrecimento é um processo que ocorre em todo o corpo e a maneira mais eficaz de se alcançá-lo é com uma vida mais saudável — dieta e exercícios físicos. 

Excesso de movimentação facial gera rugas

Cuidado! Na prática, exercitar músculos faciais pode desencadear um efeito contrário ao desejado. Isso porque, você pode intensificar os sinais de envelhecimento.

É importante entender que a musculatura do nosso rosto é estruturada em uma espécie de teia e pode ser prender aos ossos, à pele e até uns aos outros. Como todos sabem, a pele é um tecido elástico e trabalhar os músculos da face puxa e alonga a pele — não a aperta e deixa mais firme.

A verdade é que a maioria das rugas faciais decorrem do excesso de atividade muscular. Ou seja, os famosos “pés de galinha”, as rugas na testa e as linhas que se formam quando sorrimos são fruto do uso dos músculos.

O que a ginástica facial pode realmente te oferecer

Apesar de algumas promessas serem difíceis de se cumprir, isso não quer dizer que a ideia de exercitar seu rosto deva ser descartada. Isso porque, ao menos na teoria, é possível que a ginástica facial produza alguns efeitos positivos.

A prática pode ajudar a minimizar a aparência de cicatrizes mais grossas. Em geral, as massagens e alongamentos no local afetado tornam a pele mais fina e flexível.

Além disso, os exercícios faciais melhoram o tônus ​​​​muscular. Na teoria, isso ajudaria a combater o efeito da gravidade, uma vez que há uma melhor distribuição da gordura na face. 

Porém, vale dizer que esse efeito é muito sutil e bem menos expressivo do o obtido com procedimentos estéticos e dermocosméticos.

O que realmente funciona

O objetivo deste artigo não é fazer com que você desista dos cuidados com o seu rosto. Pelo contrário, a ideia é te dar informações corretas e confiáveis para que um protocolo realmente eficaz seja iniciado.

Se as rugas te incomodam de verdade, a sugestão é procurar um cirurgião plástico facial. Não perca tempo com receitas milagrosas, pois um especialista pode te ajudar a conquistar o resultado desejado.

Além disso, o uso de filtro solar e a adoção de uma vida mais saudável, com dieta balanceada e ingestão da quantidade adequada de água, são altamente eficazes.

Conclusão

Não existem segredos para ter um rosto mais jovem e bonito. A ginástica facial é uma técnica que tem benefícios, mas não é capaz de entregar tudo o que afirmam. Por isso, busque sempre informações confiáveis e vá ao médico antes de apostar em qualquer procedimento.

ginástica facial