Hormônio luteinizante baixo no ciclo menstrual? Entenda!

Quer saber o que significa hormônio luteinizante baixo? E será que isso representa algum risco para a mulher? No artigo de hoje vamos responder essas e outras perguntas.

O hormônio luteinizante é uma substância secretada pela glândula hipófise. E possui três funções principais no corpo feminino: ajudar no amadurecimento dos folículos ovarianos, na ovulação e participar da síntese de progesterona.

Chamado também de LH, esse hormônio está relacionado à fertilidade da mulher. Além disso, está presente no organismo masculino e também se relaciona a fertilidade dos homens.

Importante: as informações desse artigo não substituem o diagnóstico e a avaliação médica. Procure seu ginecologista ou obstetra para maiores informações. 

O hormônio luteinizante baixo e o ciclo menstrual

A concentração de hormônio lutenizante varia durante o ciclo menstrual. Portanto, possui diferentes níveis em cada fase do ciclo feminino mensal.

O hormônio luteinizante apresenta valores mais elevados durante o período fértil, que é quando ocorre a ovulação. E durante as outras etapas do ciclo seus níveis de concentração diminuem.

A ovulação, período em que há maior chance de engravidar, pode ser identificada através de algumas características:

  • Mudanças na secreção vaginal;
  • Alterações de humor;
  • Presença de uma dor abdominal de um lado da pélvis;
  • Leve dor de cabeça e náuseas esporádicas;
  • Sensibilidade maior nos seios;
  • Aumento da libido.

Então, nesse período são observados índices entre 14 e 95,6mUI/mL. Pois, é o pico da liberação hormonal para estimular a ovulação. Logo, após o óvulo ser liberado pelo útero os níveis de LH começam a baixar.

Os níveis de LH são mensurados através de valores de referência

Como podemos ver, é natural que os índices de LH diminuam em alguns momentos no corpo feminino. Além disso, os níveis podem variar conforme a idade da mulher. 

Já para os homens, é importante destacar que os níveis de LH também são diferentes. Isso acontece porque o organismo do homem não é exatamente igual ao organismo feminino.

Na prática, isso significa que existem valores de referência que determinam se os níveis de LH estão normais. Ou, se estão baixos demais.

E o LH está presente no organismo durante toda a vida. Portanto, também existem valores de referências para sua mensuração em crianças. Dessa forma, é possível identificar o hormônio luteinizante baixo. 

Vale lembrar que esse valor precisam ser analisados por um médico. E um diagnóstico só pode ser dado após a realização de alguns exames conjuntos.

Então, não se esqueça: procure seu ginecologista ou obstetra para se informar melhor. 

Hormônio luteinizante baixo significa risco à saúde?

Antes de tudo, saiba que níveis baixos do hormônio luteinizante podem indicar diferentes problemas de saúde. Logo, é preciso investigar cada caso de forma individual.

Portanto, o hormônio luteinizante baixo pode indicar:

  • Baixa produção do hormônio gonadotropina (GnRH), que é sintetizado pelo hipotálamo e participa da produção de LH;
  • Alterações na hipófise;
  • Síndrome de Kallmann, doença genética e hereditária que provoca ausência da síntese de GnRH;
  • Hiperprolactinemia: condição em que há um aumento da produção do hormônio prolactina.

Quando o LH está muito baixo pode afetar a ovulação nas mulheres e a produção de espermatozoides nos homens. Em ambos os casos, isso pode causar problemas de fertilidade.

Baixos níveis de LH também podem provocar a condição chamada de amenorreia, que é ausência da menstruação. Portanto, se isso acontece com você, procure seu médico.  

Pois, essa condição precisa ser analisada. E, se necessário, o médico pode até prescrever tratamento com suplementação hormonal.

Concluindo

O hormônio luteinizante baixo significa que seus níveis de LH estão abaixo dos valores de referência considerados normais. Mas, isso só pode ser detectado mediante a realização de exames médicos.

Também é possível monitorar os níveis de LH através de um teste rápido feito em farmácias ou clínicas médicas. Basta uma gotinha de sangue e o resultados sai na hora.

Contudo, quando constatadas alterações graves nesse teste ainda é necessário procurar um médico para mais exames. Porque, é preciso investigar as causas para um diagnóstico completo.

Lembre-se, as informações desse artigo não substituem as informações dadas pelo seu médico. Procure seu ginecologista ou obstetra para saber mais. Gostou do artigo? Comente!

Post anterior: Estradiol 17b alto ou baixo? Saiba para que serve o exame

hormonio luteinizante baixo